Marcelo Aranha - Aprovado no concurso do ICMS/SP

Entrevista:

Marcelo Aranha – Aprovado no concurso do ICMS/SP

Olá caros(as) amigos(as),
Entrevistamos hoje o Marcelo Aranha, aprovado no concurso de Fiscal de Rendas do estado de São Paulo (vulgo ICMS/SP). Espero que gostem da entrevista ;-)
Prof. Heber Carvalho: Conte-nos um pouco sobre você, para que nosso leitor possa te conhecer melhor. Você é formado em que área? Trabalhava e estudava, ou se dedicava inteiramente aos estudos?
Marcelo Aranha: Sou formado em Administração de Empresas pela FAAP e fiz MBA em Controladoria na FGV. No início de 2009 decidi parar de trabalhar e começar a “só” estudar.
Prof. Heber Carvalho: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Praticava esportes, fazia atividades físicas? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?
 
Marcelo AranhaSempre digo que concurso público é o melhor exercício de humildade que existe, pois antes de estudar eu achava um absurdo alguns conhecidos “só” estudarem e demorarem tanto para entrar em um concurso. Quando eu comecei a estudar achava que poucos meses de estudo unidos a minha experiência profissional de 10 anos trabalhando em multinacional seria mais do que suficiente para entrar em um bom concurso. Fazia poucos programas com amigos e familiares e tinha parado de malhar porque havia lesionado o joelho. Estudava umas 6 a 8 hs líquidas por dia e achava que estava de bom tamanho. Fui para prova do ICMS SP, após estudar uns 5 a 6 meses, confiante que entraria, que seria um cara fora da curva. Ledo engano, fiquei entre os primeiros 2.000 classificados mas beeemm longe das 400 candidatos que entraram. Grande lição.
Prof. Heber CarvalhoAo longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho? Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?
Marcelo Aranha: Após o ICMS SP dediquei uns 4 a 5 meses estudando para o ICMS SC, fui bem. Fiquei em 430 mas só tinham 30 vagas. Depois desse desanimei. Até fiz algumas provas como ICMS RJ e ICMS RS, mas já não estudava com o mesmo afinco e fui eliminado em ambas. Sem perspectiva de ter novo concurso para o ICMS SP fui abandonando os estudos gradualmente e meu peso aumentando no mesmo ritmo. Praticamente abandonei os estudos e voltei a malhar e treinar jiu jitsu (esporte que pratico há mais de 20 anos) e de 110 kgs baixei para 86 kgs (meu peso normal é em torno de 90 kgs). Com o novo peso e disposição percebi que eu poderia conseguir o que eu quisesse desde que focasse naquilo. Outro ponto importante é ter aprendido que é importantíssimo ter alguma “válvula de escape” para o stress dos estudos (no meu caso era o esporte) e inclui 2 a 3 vezes por semana, no mínimo, treinos de jiu jitsu. Voltei a estudar e a estudar em torno de 8 hs liquidas dia e fiz novamente prova do ICMS RJ e pelo menos mais umas 6 provas de áreas diferentes, o que me ajudou a ter experiência em fazer prova.
Prof. Heber Carvalho: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação. Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?
Marcelo AranhaDesde que parei de trabalhar para estudar foram 4 anos , mas de estudo sério mesmo foram 2 anos, sendo que no último ano aprendi a estudar “direito”, ou seja, ter práticas de estudos que funcionavam melhor para mim. Antes da prova do ICMS SP eu estava focado na prova para o ISS SP e achei que as 500 hs líquidas de estudos exclusivos para essa prova seriam suficientes. Tomei uma “surra” da prova e fiquei em 800 e pouco. Fiquei “p” da vida e pus na minha cabeça que o ICMS SP seria meu concurso. Estudei 1.600 hs líquidas para esse concurso, algo em torno de 8 a 10 hs líquidas por dia e sempre mentalizava ver meu nome entre os classificados….para mim não existia não passar dessa vez. Fiquei obscecado em passar e nesses meses de estudos não fazia programa algum com ninguém….era basicamente comer , dormir e estudar. Programei toda minha vida para recomeçar após minha entrada e acreditava mais do que qualquer coisa que entraria em 2013.
Prof. Heber Carvalho: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?
Marcelo AranhaUsei de tudo um pouco. Evitava aulas presenciais devido ao custo mais caro e perda de tempo para ir e voltar ao cursinho, mas não as abandonei por completo, pois alguns professores só ensinavam presencial e acho importante ir ao cursinnho de vez em quando para estar por dentro do que está acontecendo no mundo dos concursos e principalmente para ver que seus amigos de estudos e concorrentes estão com o “sangue nos olhos” tanto quanto você. Estudei bastante por vídeo-aulas e PDFs (a maioria deles do Estratégia Concursos) e para mim foi o que funcionou melhor. Livros eu só usava para consultar algum assunto que eu tinha dúvida ou relembrar algum ponto específico. Claro que isso foi após ter feito cursos teóricos e de exercícios.
Prof. Heber Carvalho: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria?
Marcelo AranhaA maior parte das matérias fiz um curso teórico e depois foquei só em fazer exercícios e voltava a teoria quando eu errava muito algum assunto específico. No começo eu estudava umas 4 matérias até acabar e depois eu partia para outras até acabar tudo. Não gravei quase nada dessa maneira. Mudei a estratégia e passei a estudar quase todas (algumas eu deixei para estudar próximo da prova. Inglês e atualidades por exemplo) as matérias pedidas no edital na semana. Para mim funcionou melhor, principalmente na fase que eu já tinha estudado toda teoria e estava me dedicando “apenas” a fazer exercícios.
Fazia resumos para algumas poucas matérias. Geralmente eu usava as anotações dos cursos teóricos os quais eu complementava com anotações dos cursos de exercícios.
Quando acabaram os execícios eu refazia os mesmos exercícios ou procurava algum outro curso de exercícios. Chegou uma época que eu nem lia direito a pergunta e já ia direto na “pegadinha” da questão. Foi sedimentando e automatizando o conhecimento.
Prof. Heber Carvalho: Uma das coisas mais certas para quem estuda para concursos de alto nível é o fato de que o edital sempre trará algumas novidades. São temas novos, com os quais nunca se teve contato anteriormente. Com o concurso do ICMS/SP , no qual você foi aprovado, não foi diferente! Entraram diversos temas que as pessoas não esperavam (Economia, Tecnologia da Informação, Raciocínio Crítico). Qual foi a sua estratégia para dar conta de tantos assuntos e/ou disciplinas novas, em um curto espaço de tempo, entre a publicação do edital e a prova?
Marcelo AranhaRaciocinio Critico fiz e refiz todos exercícios de um curso do Artur Lima do Estratégia e mais alguns de um curso que eu tinha feito com o Carlos Henrique. Acertei 90%. Economia que eu tinha dificuldade refiz 3 vezes os exercícios dos assuntos que eu sabia melhor (material presencial e PDF do Heber do estratégia) e fiz 50%. Tecnologia da Informação eu estudei por lugares diversos mas quanto mais estudava mais desespero dava. Acabei por escolher uma meia dúzia de assuntos que eu achava que ia cair e estudei o melhor que pude só esses assuntos. Na hora da prova eu sabia 4 questoes e chutei as demais acertando mais 2 das 10. Fiz 60%. Os assuntos “surpesas” que vem com o edital podem ser antecipados (como economia) fazendo-se “apostas” nas tendências da banca e antecipar os estudos, caso contrário é impossível saber tudo para prova. Eu optei em escolher alguns assuntos e sabê-los melhor do que saber pouco todos os tópicos pedidos.
Prof. Heber Carvalho: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?
Marcelo Aranha: Eu tinha dificuldade em váriassss: economia, português, contabilidade, estatística, raciocínio lógico, tecnologia da informação, legislação específica, etc. Minha estratégia foi fazer vários cursos com professores diferentes até encontrar um que me fizesse entender bem. Quando o encontrava fazia curso de teoria e algum curso posterior de exercícios e repetia-os até ter um acerto acima de 75%/80%. Quando conseguia esse % eu procurava outros cursos de exercícios para fazer manutenção/sedimentação desse conhecimento.
Prof. Heber Carvalho: A reta final (estudo pós-edital) é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?
Marcelo AranhaAs matérias sedimentadas eu fazia “só” exercícios. As demais eu fazia re-leitura de resumos e vídeo-aula de revisão e depois exercícios também.
Eu procurava estudar mais as matérias de mais peso, porém sempre via as outras matérias na semana, mesmo que fosse por 1 ou 2 hs (na semana) de exercícios apenas.
Prof. Heber Carvalho: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha? Como foi seu estudo nesse período?
Marcelo AranhaEu estudei todo dia da ultima semana de 10 hs até 12 hs no dia e ia estudando para prova e só parava de estudar quando o fiscal de sala me dizia que tinha que entrar e guardar o material, mas isso funcionava para mim. Cada um deve fazer as duas experiências nas provas/concursos “treino” para pegar experiência de prova e ver  o que é melhor para ela.
Prof. Heber Carvalho: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve ;-), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?
Marcelo AranhaVários erros, como querer estudar todos os materiais que apareciam, mas principalmente ter parado de estudar por uns 6 meses. Quando voltei depois parecia que eu nunca tinha estudado nada, pois não lembrava de quase nada. Tive que recomeçar praticamente do zero.
Os acertos acredito que tenham sido escolher melhor os materiais de estudo, fazer uma planejamento melhor que me proporcionasse uma visão de 1 a 3 meses para frente do que eu ia estudar e principalmente mentalizar que eu ia entrar e fazer o “impossível” para que isso acontecesse.
Prof. Heber Carvalho: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?
Marcelo Aranha: Achar que estudar uns meses já é mais que suficiente, achar que pode-se ter uma vida normal e ser concurseiro, achar que a regra é aquele conhecido do primo do vizinho que nem estudou direito e entrou em vários concursos, achar que a experiência profissional é suficiente para ir bem em uma matéria (em regra NÃO é), não fazer outras provas antes do concurso almejado (é importantíssimo adquirir experiência de como fazer provas, mas após adquirir essa experiência – fiz pelo menos umas 6 provas que nada tinham a ver com o ICMS – pare e foque na sua banca/prova)
Prof. Heber Carvalho: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação?
Marcelo AranhaO mais difícil foi deixar de ver minha família/amigos e deixar de fazer as coisas que eu gosto (como praticar esportes, viajar, etc) na frequência que eu gostaria. Além disso minha auto-estima tava enterrada pois eu era o “jáque”: ….já que você não ta fazendo nada vai lá e…. OU o “só”:….Mas você “só” estuda e não faz mais nada da vida? ….OU o “ainda não entrou”….ainda não entrou? será que não é mehor voltar a mandar CVs, afinal é muito difícil e tem muita “marmelada”….etc.
Prof. Heber Carvalho: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para um concurso de alto nível. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!
Marcelo Aranha: ACREDITE !!!! ACREDITE EM VOCÊ E CORRE ATRÁS….SEJA PERSISTENTE….NÃO DESISTA NUNNNCA….FAÇA UM PLANEJAMENTO QUE SEJA PERTINENTE A SUA REALIDADE E SÓ PARE QUANDO ENTRAR….MENTALIZE SUA APROVAÇÃO SE CONCRETIZANDO E TUDO QUE VOCÊ REALIZARÁ PÓS APROVAÇÃO….MENTALIZE TODOS QUE DUVIDARAM DE VOCÊ ENGOLINDO SECO E COM CARA DE “BUN..” PORQUE VOCÊ PASSOU….MENTALIZE A FELICIDADE E ORGULHO DOS SEUS FAMILIARES E AMIGOS QUE SEMPRE TORCERAM POR VOCÊ….MENTALIZE….A SENSAÇÃO É ÚNICA E SE EU CONSEGUI VOCÊ TAMBÉM PODE….EU NUNCA FUI ESTUDIOSO NA ESCOLA OU NA FACULDADE, NUNCA FUI GRANDE FÃ DE LER, MAS SEMPRE FUI TEIMOSO/CHATO E MINHA VONTADE DE CONSEGUIR ENTRAR ME FEZ MUDAR MEUS HÁBITOS E ESTUDAR NESSE PERÍODO O QUE EU NÃO TINHA ESTUDADO NA MINHA VIDA TODA, MAS VALEU DEMAIS A PENA. CADA CENTAVO GASTO, CADA MINUTO INVESTIDO, CADA AUSÊNCIA SOFRIDA. VALEU !!!!

Resultados:

  • TRF 4a Região - 2019 14 alunos do Estratégia ficaram em 1º lugar, em suas respectivas regiões
  • Tribunal de Justiça-PR 2019 Dos 10 primeiros colocados, 7 foram nossos alunos
  • Agente da Polícia Federal 2018 Dos 180 aprovados, 113 foram nossos alunos
  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos