Erik Silva - Aprovado no concurso do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo

Entrevista:

Erik Silva – Aprovado no concurso do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo

“No começo de minha jornada, fiz vários concursos: Assistente em Administração, Escrevente Judiciário, Técnico Previdenciário; ou seja, prestava todos os certames. Os resultados começaram a aparecer, quando comecei a focar nos concursos de minha área de formação (Tecnologia da Informação). É válido fazer outros concursos sim, desde que sejam na mesma área do concurso-alvo”

Foco. Foi após perceber que faltava esse elemento em sua preparação, que o concurseiro Erik Silva começou a alcançar os bons resultados em concursos. Em sete anos de estudo, Erik tem um currículo que inclui várias aprovações; dentre elas, três primeiros lugares e outras três entre os dez primeiros colocados. Sendo os melhores resultados em concursos na área de Tecnologia da Informação.

E se engana quem acha que a vida de Erik baseia-se em apenas estudar! O graduando em Tecnologia em Informática para Negócios divide sua rotina entre o trabalho, a faculdade, a vida social e sua dedicação aos concursos públicos.

Confira nossa entrevista com Erik Silva. Apesar de todo sucesso já conquistado, ele continua sua caminhada em busca de mais aprovações.

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você. Assim, nosso leitor poderá conhecê-lo melhor. Você é formado em que área? Trabalhava e estudava? Ou se dedicava, inteiramente, aos estudos? Em quantos e quais concursos já foi aprovado(a)? Qual o último?

Erik Silva: Sou Técnico em Informática pela ETEC – Salles Gomes – Tatuí/SP. E, agora, estou terminando o curso de Tecnologia em Informática para Negócios na FATEC-Botucatu. Trabalho no ramo há 3 anos, no IFSP, campus Avaré, no cargo Técnico de Tecnologia da Informação; no qual tive aprovação em concurso.

Minha vida de concursando começou, em 2006, quando prestei um concurso municipal para auxiliar administrativo. Passei no meu primeiro concurso, mas queria mais. Em 2007, comecei o curso técnico em informática; trabalhava de dia e estudava a noite. Quando terminei o curso técnico, em julho de 2008, comecei o curso superior de Tecnologia em Gestão Empresarial e também comecei a fazer concursos para a área de TI; mas, não obtive grandes resultados; sempre ficava nas listas de espera.

Em 2011, Quando faltavam apenas 6 meses para terminar a faculdade, fui nomeado no cargo de Técnico de Tecnologia da Informação no IFSP – campus Avaré. Então, tive que escolher entre terminar a faculdade ou assumir um cargo público federal. Optei por trancar o curso, na faculdade, para assumir o cargo no IFSP. Não consegui terminar o curso de Gestão Empresarial, devido à distância entre a cidade da faculdade e onde eu estava trabalhando.

Em 2012, comecei um novo curso superior: Tecnologia em Informática para Negócios. Deu para aproveitar muitas disciplinas da faculdade anterior; então, espero terminar o curso em Junho 2014. Neste período, fiz vários concursos e consegui meus 1ºs lugares. Fui aprovado na UNESP – Botucatu, em 1º lugar, para o emprego de Assistente de Suporte Acadêmico II – Informática; mas não assumi, pois estava muito empolgado no IFSP.

Tenho família no Piauí; e numa das férias. houve o concurso para o IFPI para o cargo de Técnico de TI. Eu estaria lá de férias, no dia da prova, e resolvi fazer o concurso. Também fui aprovado em 1º lugar; mas, não assumi o cargo no IFPI, porque não queria deixar a faculdade pela metade novamente.

Em Outubro de 2013, comecei novamente nos concursos, fiz vários: Outubro – UFABC (9º), Novembro – UFPR(6º), Dezembro – IFPR(1º) – todos para o cargo de Analista de TI. E, em fevereiro de 2014, fiz o concurso do TRT-2, para os cargos Analista e Técnico Judiciário – Esp Tecnologia da Informação. Encarar duas provas, no mesmo dia, foi muito difícil; fiz a prova de Técnico, pela manhã, e de Analista, à tarde, não fui bem para Analista; não tive nem a redação corrigida; para Técnico, fui aprovado em 8º lugar.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Erik: Sempre tive vida social bem resolvida. Nunca me privei de sair com amigos, acessar redes sociais, ou estar com a família. Estudava, com afinco, nos finais de semanas; mas, apenas, 2 ou 3 horas. Não consigo render mais que isso.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação? Ou decidiu manter o foco, apenas, naquele concurso que era o seu sonho? Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é, realmente, seu objetivo maior?

Erik: No começo de minha jornada, fiz vários concursos: Assistente em Administração, Escrevente Judiciário, Técnico Previdenciário; ou seja, prestava todos os certames. Os resultados começaram a aparecer, quando comecei a focar nos concursos de minha área de formação (Tecnologia da Informação). É válido fazer outros concursos sim, desde que sejam na mesma área do concurso-alvo. Meus objetivos são: assumir o cargo de Técnico Judiciário e continuar estudando para passar no cargo de Analista Judiciário área TI.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante esse tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos, mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Erik: Estudei todos esses 7 anos (2006 – 2013), sempre estudando e fazendo muitos exercícios, para manter a disciplina. Frequentemente, prestava algum concurso para treinar o português e a matemática; e em alguns casos, o direito constitucional.

Estratégia: Que materiais você usou, em sua preparação, para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Erik: Para minha preparação, gosto de usar livros e materiais em PDF. Sempre peguei provas anteriores. Na preparação de algum concurso, em específico, pego provas da mesma banca, a fim de entendê-la. Saber se o português é mais gramática ou interpretação de texto; se a banca coloca muito texto, ou é mais objetiva.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria?

Erik: Gosto de fazer resumos. Quando me preparo para concurso, faço um cronograma semanal. Por exemplos, segunda: português e matemática; terça: direito constitucional e administrativo. Geralmente, duas matérias por dia; uma hora para cada, no máximo. Sempre lendo a teoria e, em seguida, uma leitura e faço uma bateria de exercícios.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar essas dificuldades?

Erik: Minha maior dificuldade é nas disciplinas de Gestão de TI como ITIL, Cobit, PMBOK, etc. Para superar isso, eu procurava grupos, na internet, para tirar dúvidas.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos nesse período? Você se concentrava nas matérias de maior peso? Ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na releitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Erik: Na reta final, eu dei uma desligada do concurso. Isso mesmo! Uns 15 dias antes da prova, eu já tinha feito tudo que tinha que fazer. Peguei várias provas anteriores para resolver. Estava tendo um rendimento de 80 a 90% na parte específica. Sabia que eu não melhoraria muito se continuasse estudando.

Estratégia: Na semana da prova, por um lado, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando, intensamente, dia e noite). Por outro, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco; para chegar, no dia da prova, com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Erik: Como comentado, dei uma desacelerada. Fiz, apenas, uma leitura superficial dos resumos. E uma leitura, no edital, na parte conteúdo programático, para garantir que não tinha deixado nada para trás. Para mim, funcionou estar com a cabeça relaxada na semana da prova.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Erik: Erros na preparação: eu poderia ter mais dedicação nos estudos. Às vezes, acho que renderia mais se fosse mais dedicado. Acertos: Fazer provas anteriores da mesma banca; isso foi fundamental para passar.

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Erik: Muitas pessoas acham que concurso é loteria. Faz a prova, sem nenhuma preparação; e, ainda, espera ser classificado. Outros não leem o edital. E não sabem os requisitos do certame; olham, somente, o salário e pronto.

Estratégia: O que foi mais difícil, nessa caminhada, rumo à aprovação?

Erik: Mais difícil é começar os estudos. Os primeiros concursos, geralmente, são desanimadores. Minha maior dificuldade inicial foi separar material de qualidade para minha preparação. Também tive dificuldade para arcar com os gastos envolvidos num concurso, como: taxas de inscrição, passagens e material de estudo.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para um concurso? Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que, um dia, almejam chegar aonde você chegou!

Erik: Ter os pés no chão, gostar de fazer prova e ser persistente. Tenha a noção da sua preparação para o concurso almejado. Estude sempre, mesmo quando não há nenhum edital na praça. É como dizem: “Concurso é para fazê-lo até passar”.

Confira outras entrevistas em:

http://www.estrategiaconcursos.com.br/depoimentos/

Assessoria de comunicação

Resultados:

  • TRF 4a Região - 2019 14 alunos do Estratégia ficaram em 1º lugar, em suas respectivas regiões
  • Tribunal de Justiça-PR 2019 Dos 10 primeiros colocados, 7 foram nossos alunos
  • Agente da Polícia Federal 2018 Dos 180 aprovados, 113 foram nossos alunos
  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x