ENTREVISTA: Thayse Monteiro Modesto - Aprovada no concurso SEDUC PA no cargo de Professor de Português

Entrevista:

ENTREVISTA: Thayse Monteiro Modesto – Aprovada no concurso SEDUC PA no cargo de Professor de Português

“Para atingir a aprovação será necessário abdicar algumas coisas por um determinado período. Logo, será necessário dedicar tempo aos estudos de forma quase exclusiva, manter o foco e concentração total. No final, valerá muito a pena”

Confira nossa entrevista com Thayse Monteiro Modesto, aprovada no concurso da Secretaria de Estado de Educação do Pará (SEDUC PA) no cargo de Professor de Português:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formada em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Thayse Monteiro Modesto: Meu nome é Thayse. Sou formada em Letras – Língua Portuguesa. Tenho 33 anos e moro em Ananindeua – Pará.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseira, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Thayse: Com a saída do edital do concurso, solicitei férias do trabalho para me dedicar aos estudos. Um mês de férias é pouco para quem deseja muito passar, mas como minha jornada de trabalho não é tão exaustiva, eu tive mais tempo para me dedicar ao concurso.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovada? Qual o último?

Thayse: Fui aprovada e não classificada em cinco concursos (SEMEC, SEMED, SESMA, SEDUC/Pa – Educação Especial e UFRA). Aprovada e classificada em dois, sendo o último da SEDUC/Pa, cargo professor.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Thayse: A sensação é maravilhosa, uma fusão de sentimentos (alegria, emoção, alívio…) e a certeza de que todo o esforço dedicado aos estudos valeu a pena.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Thayse: Tentei adequar toda a minha rotina em prol do concurso. Evitei ao máximo redes sociais, deixei de ir a alguns encontros com amigos e procurava não marcar compromissos sociais aos finais de semana.

Estratégia: Você é casada? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseira? Se sim, de que forma?

Thayse: Moro com meu companheiro e tenho um filho de três anos. No início da preparação não foi muito fácil reservar um tempo para os estudos, mesmo com um mês de férias do trabalho. Mas meu companheiro entendeu que aquele concurso era muito importante para mim e me apoiou bastante cuidando do nosso filho enquanto eu estudava.  

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho?

Thayse: Em 2016, tentei concurso para outra área distante do meu foco. Fiz um concurso federal (UFRA) a fim de melhorar minha renda, pois eu já era concursada, mas não estava satisfeita com meu salário.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Thayse: Para quem ainda não conquistou a estabilidade no serviço público ou não tem um salário satisfatório, acho que vale a pena sim tentar outros concursos diferentes do objetivo maior. Eu não pensava dessa forma, mas hoje entendo que a busca por estabilidade e qualidade de vida devem ser prioridades na jornada de um concurseiro.

Assim, a vantagem de dedicar-se a concursos de diferentes áreas é que adquiri-se experiência e conhecimentos proveitosos. A dificuldade, ao adotar essa postura, é que o concurseiro terá que se dedicar mais aos estudos, pois os conteúdos serão bem distintos.

Para quem já possui estabilidade e almeja um cargo, instituição ou esfera específica, penso que vale a pena focar no “concurso dos sonhos”. O tempo e o investimento dedicados a um concurso ou área específica terão maior probabilidade de um resultado positivo.

Até minha aprovação esse era o concurso dos meus sonhos. Agora que consegui alcançar esse objetivo e constatei que é possível passar, já sonho com um certame federal na minha área de atuação. Por isso, continuo estudando.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Thayse: Costumo dizer que esperei dez anos por esse concurso. Foi o tempo que levou para sair o edital após o último concurso nessa mesma área e esfera administrativa (professor do estado). Durante esse período, fiz outros concursos e estudava somente com a saída do edital deles.

Especificamente para este certame, fiz um preparatório presencial em 2015, pois havia rumores da possível saída do edital. Também comecei a analisar e resolver as questões da banca, quando soube qual era. Essa análise e resoluções de provas foi um ano antes da saída do edital, mas considero como tempo de efetivo estudo cerca de quatro meses. Foi quando dediquei todo meu tempo disponível para os estudos.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Thayse: Utilizei material em PDF e vídeoaulas do Estratégia Concursos, além de outros materiais e cursos.

A vantagem do PDF é a agilidade dos estudos. Com a leitura é possível avançar com o conteúdo, destacar pontos importantes, fazer resumos e treinar questões de concursos. A desvantagem é que nem tudo é apreendido ou assimilado.

Já o aspecto positivo da vídeoaula é o esclarecimento de pontos obscuros do conteúdo, além das dicas que os professores dão para o direcionamento nos assuntos mais cobrados em provas. A desvantagem desse método é que precisa ter bastante tempo para assistir às aulas.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Thayse: Com a saída do edital do concurso, vi na internet o anúncio do Estratégia sobre a análise do documento. Assisti e gostei bastante da proposta. Foi assim que decidi comprar um pacote completo.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Thayse: O certame a que me dediquei foi para o cargo de professor. Fiquei muito tempo sem atuar nessa área e isso me deixava em situação de desvantagem em relação aos outros concorrentes que lidavam com o conteúdo diariamente ministrando aulas. Portanto, para o específico muitos já estavam preparados. Por isso percebi que precisava me dedicar bastante aos estudos.

Logo, utilizei o material em PDF, assistia bastante vídeoaula e resolvia o máximo de questões, especialmente da banca organizadora do meu concurso.

Além disso, tentava estudar diferentes conteúdos no mesmo dia, já que eu não tinha muito tempo. Para tanto, fazia resumos ao ler o material, fiz muito print de vídeoaula e acredito que seja indispensável focar em resoluções de questões da organizadora do certame. Cada banca costuma cobrar os assuntos de forma peculiar, daí a importância de conhecê-la bem.       

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Thayse: Como disse antes, o concurso que eu fiz foi na minha área de atuação (professor). O fato é que eu havia concluído minha graduação cerca de nove anos e esqueci muita coisa do conteúdo específico (língua portuguesa). As vídeoaulas do professor Décio Terror, do Estratégia, me ajudaram bastante, além de outros professores do curso e de outros lugares também.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Thayse: Na reta final foi quando me dediquei ainda mais. Vi o que eu estava errando com maior frequência (isso só é possível fazendo exercícios) e foquei nessas dificuldades. Também reservei uma atenção especial à legislação.

Além disso, resumos e resoluções de questões nesse momento são importantíssimos.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Thayse: Acredito que este seja um ponto polêmico. Tudo o que será estudado na semana da prova deve ser feito de forma muito estratégica.

No meu caso, intensifiquei o ritmo pois queria aproveitar cada minuto que ainda restava para os estudos. No entanto, penso que é uma questão muito peculiar de cada candidato. Cada um sabe do seu limite, do seu esforço, do que estudou e do que ainda precisa estudar.

De qualquer forma, cada dia que antecede a prova deve ser aproveitado da melhor forma possível, respeitando os limites do corpo e da mente. Logo, leitura de resumos e o trabalho com questões de concurso nessa reta final sempre são as boas alternativas.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Thayse: A prova discursiva foi decisiva para mim. Para um bom desempenho nela, não há outro caminho a não ser o da leitura diária de assuntos atuais e o treino exaustivo com a escrita, além do conhecimento da estrutura do texto dissertativo/argumentativo e aspectos imbricados (coesão, coerência, tese, argumento, domínio da norma culta…)

Assim, aconselho a leitura e pesquisa de possíveis temas para a redação, assuntos atuais, seus diversos pontos de vistas e o treino com a escrita. Após preparar os textos do treino, é importante mostrá-los para um professor de redação e pedir orientações.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Thayse: Meu erro durante a preparação foi não treinar com maior frequência o tempo para resolver as questões. Durante a prova, tive um problema com o tempo e só não fui mais prejudicada porque consegui acertar a maioria das questões que consegui resolver.

Entre os acertos destaco a importância de seguir dicas dos professores e pesquisar exaustivamente provas anteriores da banca organizadora do concurso. Conhecer bem as questões da banca é fundamental para obter um bom êxito na prova. Por fim, trabalhar o emocional também é essencial.

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Thayse: Penso que o maior erro de alguns concurseiros é a pouca entrega ao período de preparação. A falta de organização, motivação, foco e disciplina desviam a atenção e acabam repercutindo em poucas horas de estudo e insuficiente dedicação ao certame.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Thayse: O mais difícil durante a minha preparação foi trabalhar a “inteligência emocional”. Durante a jornada para este concurso, eu estava passando por um momento delicado da minha vida e foi necessário muito controle emocional, determinação, vontade de vencer e capacidade de superar a mim mesma. Portanto, resiliência e fé propiciaram a mim foco nos estudos mesmo com as adversidades. Inclusive, as horas dedicadas ao concurso me ajudaram a esquecer, por alguns instantes, a dor que eu sentia.

Quanto às motivações, pensei muito no meu filho e na educação que pretendo dar a ele. Além da busca por qualidade de vida e conquista profissional. 

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Thayse: O primeiro passo é estabelecer metas. Se não existirem objetivos a serem atingidos, não haverá entrega total ao período de preparação. Portanto, aconselho que se vislumbre um cargo público, uma instituição ou esfera administrativa, um concurso ou simplesmente a estabilidade pública, pelo menos a priori.

Ademais, para atingir a aprovação será necessário abdicar algumas coisas por um determinado período. Logo, será necessário dedicar tempo aos estudos de forma quase exclusiva, manter o foco e concentração total. No final, valerá muito a pena.

Também é fundamental acreditar em si mesmo, crer que é possível atingir a provação. Quando acreditamos nisso, lutamos com todas as nossas forças e vamos até o nosso limite.

Por fim, penso que um bom plano de estudos com auxílio de professores, aliado ao desejo de vencer e ser aprovado podem proporcionar maiores chances na busca pela aprovação. 

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Veja os comentários:

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso Analista e Assistente DPE AM 2019 Dos 134 primeiros colocados, 52 são nossos alunos
  • Concurso SEFAZ-AL 2020 - Auditor Fiscal Dentro das 60 vagas ofertadas, 32 são nossos alunos
  • Concurso DEAP SC - Agente Penitenciário Feminino 2019 Das 50 melhores colocadas, 16 são nossas alunas
  • Concurso MP RJ - Oficial 2019 Dos 10 primeiros colocados, 6 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Técnico Administrativo Dos 10 primeiros colocados, 7 são nossos alunos