ENTREVISTA: Pedro Gadelha - Aprovado no concurso SEFAZ GO para o cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual

Entrevista:

ENTREVISTA: Pedro Gadelha – Aprovado no concurso SEFAZ GO para o cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual

“Estudar para concurso público é para poucos, não será fácil e momentos tristes ocorrerão ao longo do caminho. Não tenha nunca pena de si mesmo, porque a maioria “lá fora” estará, no fundo, torcendo pelo seu fracasso. Encare os momentos difíceis de frente e todos os dias peça forças a Deus para continuar na batalha. Uma hora sua vitória chegará!”

Confira nossa entrevista com Pedro Gadelha, aprovado em 9º lugar no concurso da Secretaria de Estado da Fazenda de Goiás (SEFAZ GO) para o cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Pedro Gadelha: Sou formado em Engenharia Elétrica pela UFC, tenho 27 anos e sou natural de Fortaleza (CE).

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Pedro: Sempre quis seguir carreira na minha área de formação, mais especificamente no setor industrial. Consegui o cargo que almejava ao me formar, mas me decepcionei muito. Sou apaixonado por bater metas e resultados mas, para eu alcançar meu objetivo de vida, infelizmente, teria que abdicar totalmente da minha vida pessoal e aguentar muitas coisas com as quais eu não concordo.

Meu pai sempre dizia que eu deveria estudar para concurso e eu nunca tive interesse, mas um dia fui estudar sobre as possíveis áreas existentes e me apaixonei pela área fiscal. Vi que eu poderia conciliar o que gosto de fazer com a qualidade de vida, tanto pessoal, quanto financeira, que eu nunca teria se continuasse trabalhando na iniciativa privada.

Então, passei uma semana pesquisando para saber se era isso mesmo que eu queria e dei início aos estudos exatamente dia 02/05/16.

Acho super importante não iniciar os estudos buscando apenas ganho financeiro, porque é muito difícil se manter motivado ao longo do tempo apenas com esse sentimento.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Pedro: Sempre trabalhei na iniciativa privada. Sou supervisor de um setor de manutenção e responsável por 3 turnos. Durante a minha preparação precisei ter bastante inteligência emocional para conseguir manter o ritmo puxado dos estudos com o trabalho super estressante.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Pedro: Fui aprovado nos concursos abaixo:

– Auditor Fiscal Prefeitura de Aracati(CE): 2° Lugar pós títulos (fui nomeado, mas não assumi)

– Auditor Fiscal da Prefeitura de Sobral(CE): 23° Lugar (fora das vagas)

– Auditor Fiscal da Prefeitura de São Luís(MA): 23° Lugar (fora das vagas)

– Auditor Fiscal da Receita Estadual SEFAZ GO: 9º Lugar

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Pedro: Indescritível. Sonhava muitas vezes com esse dia.

O resultado no DOE saiu exatamente meia noite. Eu estava com minha família esperando desde cedo e todos começamos a gritar de alegria e chorar com o resultado.

Parece que um caminhão sai das costas. Tanto tempo de luta recompensado.

Para os que estão lendo esse depoimento e estão há muito tempo estudando eu falo que continuem, porque eu garanto que sua hora vai chegar, basta persistir. Quando isso acontecer você vai pensar: “olha, não foi tão ruim assim”.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Pedro: Como eu sempre trabalhei, tive que adotar a forma radical. Acredito que existem diferentes tipos de pessoas. Nunca aceitei quando alguém formado no ITA diz ser uma pessoa normal, porque não é.

Então, sabendo que eu sou uma pessoa bem normal, precisava me dedicar, não 99%, mas sim 100% para que eu atingisse meu objetivo.

Só saia de casa aos finais de semana no fim da tarde, porque descanso também deve existir. Eventos durante a semana só se fossem muito especiais ou questões de saúde. Pós edital foi bem pior.

Minha namorada, a quem devo demais, esteve do meu lado durante toda minha preparação e abdicou de tudo comigo. Isso foi muito importante para meu sucesso.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Pedro: Moro com minha mãe e namoro há cerca de 5 anos. Toda a família me apoiou durante a preparação. Em alguns momentos você sente um pouco de dúvida da parte deles, mas isso é normal.

Acho importante, antes de você começar seu primeiro dia de estudos, reunir sua família e falar sobre sua decisão. Tem que explicar que esse período será de abdicação extrema e pedir o apoio de todos. Quando isso é feito, todos entendem bem melhor.

Eu tentava delegar muitas atividades rotineiras para minha namorada, como impressão de papéis, levar o carro para o conserto, esse tipo de coisa.

Também acho importante evitar qualquer tipo de pessoa pessimista e ser bem firme  com aqueles que tentam lhe colocar para baixo.

 Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Pedro: Acho importante fazer concursos apenas da área que você almeja. Eu só fazia concursos da área fiscal, mas não adianta ficar esperando o seu concurso dos sonhos aparecer. Outros concursos da mesma área são tão bons quanto e é importante fazê-los para adquirir experiência.

Tentei desviar o foco e estudar para o TCE PE. No meio do caminho eu desisti de estudar e voltei ao foco fiscal, pois senti que perdi muito quando fiz essa mudança.

Acho válido estudar para outra área apenas quando seu nível estiver muito bom e não tiver nenhum concurso em vista.

Meu concurso dos sonhos é a SEFAZ CE e pretendo fazê-lo.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Pedro: Estudei cerca de 2 anos e 5 meses. Comecei do zero e estudei todos os dias. Nos primeiros meses eu evitava estudar no domingo, mas logo inclui ele também. Nunca tive uma parada maior que 3 dias e estes foram em casos raros de doença ou fadiga.

Essa questão do tempo de estudo me deixava muito apreensivo no início quando lia os depoimentos. O que posso dar de conselho é: Esteja preparado para estudar por mais de 2 anos, pois pode se decepcionar se quiser passar muito rápido. Acontece de passar em menos de 1 ano? Sim, mas são casos raros e não devem ser tomados como regra.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Pedro: Sim. Na verdade, eu comecei a estudar no auge da “seca” da área fiscal. Nessa época só se ouvia falar que os concursos iam acabar, que não teria concurso tão cedo.

Eu tinha duas opções: parar e me arrepender no futuro ou usar esse tempo para ficar muito bom. Escolhi a segunda opção e estudei cerca de 1 ano e meio até fazer minha primeira prova na área fiscal.

No início dos estudos saiu ISS Teresina e SEFAZ MA, mas como eu não tinha estudado nem o básico direito, preferi não desfocar e continuar meu planejamento para chegar no próximo com chances reais de passar.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Pedro: Usei PDFs e videoaulas, estas apenas em casos especiais, como para aprender DFC em contabilidade, por exemplo. Também usei videoaulas em legislação específica.

As vantagens do PDF é que o professor explica de uma forma mais didática e focada, diferente do livro, mas para algumas matérias que exigem um pouco mais de aprofundamento as vezes não é tão bom. Já as videoaulas só considero apropriado quando o PDF não foi suficiente.

Se você não conseguiu absorver a matéria com PDF e vídeo aula, no caso de dúvidas, acho melhor fazer exercícios e aprender na prática. Ir atrás de outros materiais e livros não acho apropriado devido ao excesso de informação e perda de tempo. Teoria demais só atrapalha.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Pedro: Quando eu comecei a estudar, falei com um grande amigo que já estava estudando e ele me indicou estudar pelo Estratégia Concursos dizendo ser o melhor do mercado. Ele estava certo.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Pedro: Estudei inicialmente as matérias básicas da área fiscal. Depois de um ano comecei a incluir as matérias mais específicas como direito civil.

Eu estudava várias matérias por dia, cerca de 2h por matéria.

Nunca gostei de fazer resumos e acho até improdutivo. Eu faço o seguinte método, que adaptei de algum lugar que vi: leio o PDF e faço uma marcação com uma cor nos pontos importantes. Após isso, fazia todas as questões da aula e marcava as que errava ou tinha dúvida. No outro dia eu fazia a revisão de 24h e relia apenas a marcação anterior, refazendo as questões marcadas. Interessante é que na segunda leitura muita coisa que você considerava complicado já não acha mais, ai eu marcava o que eu considerava importante, na segunda leitura, com outra cor por cima.

Nunca fiz revisões semanais e mensais, acho que consome tempo demais e vai chegar uma hora em que você só fará revisão porque não vai ter mais tempo para outra coisa.

Após terminar os materiais, partia para questões em um site focado nisso. Gostaria de enfatizar que O SEGREDO DO SUCESSO É FAZER QUESTÕES. Mas quantas? Quantas você conseguir e mais um pouco. Depois que terminava a teoria e fazia as marcações, ficava apenas fazendo questões. Se eu errava ou tinha dúvida, via o comentário dela e, ao fim do caderno, refazia todas as erradas até acertar todas. No site de questões que uso tem a quantidade de questões não repetidas que fiz, mas, se contar elas mais as repetidas e as dos PDFs, com certeza fiz mais de 40 mil questões.

Depois de um tempo você sente necessidade de revisar a matéria. Neste momento, devido ao grande aprendizado que é obtido com questões, você exclui muitas marcações que considerava importante antes. Chegará um momento no estudo que revisará toda a matéria da disciplina em poucas horas porque o resto já está “no sangue”.

Outra coisa que só aprendi um tempo depois foi a importância da lei seca. Ao ler o PDF, já deixe a lei seca do lado e vá grifando ela. Vai chegar um momento do seu estudo que ela vai ser sua principal aliada. Nas questões de prova, muitas vezes, não sabemos direito a questão e acertamos apenas porque sabemos a lei seca decorada.

Para aqueles que trabalham, dou as seguintes dicas para ganhar tempo:

– Você tem bem mais tempo do que acha que tem;

– acorde cedo e durma tarde;

– almoce mais rápido e estude no intervalo do trabalho. Horário de almoço para concurseiro que trabalha é ouro, não desperdice;

– tenha uma boa internet no celular e o utilize para fazer questões. Ninguém trabalha o dia todo e, enquanto os outros ficam no whatsapp, você estuda;

– Pega transito para ir e voltar do trabalho? Saia mais cedo ou mais tarde para pegar menos trânsito e, enquanto isso, fique estudando em algum lugar, como dentro do carro no estacionamento do trabalho, por exemplo;

– Não existe lugar e hora ideal para estudar. Qualquer hora é hora;

– Esqueça televisão e redes sociais na semana;

Minha rotina era repetitiva: acordava 5h e estudava até as 6h em casa. Ia para o trabalho cedo, para evitar trânsito, e ficava estudando dentro do carro até às 8h. Eu almoçava bem rápido e já ia estudar. Chegava em casa por volta das 18h, só tomava um banho e já começava de novo e estudava até as 23h. Além disso, qualquer oportunidade que eu tinha de ociosidade durante o dia eu já pegava o celular e ficava fazendo questões. Aos fins de semana acordava 6h e estudava até a hora que aguentasse, variando nas épocas de pré ou pós edital.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Pedro: Acho que nunca tive uma grande dificuldade. Se eu tinha, simplesmente aumentava a carga horária da matéria e fazia muitos exercícios. Você acaba aprendendo querendo ou não.

A gente não nasceu sabendo andar, então não saberemos tudo tão facilmente. Basta encarar a matéria e exercitar muito. No começo você errará bastante, mas, mais rápido do que imagina, estará sabendo muito.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Pedro: Eu prefiro estudar normalmente até a véspera da prova, mas em um ritmo menos acelerado. Ao longo do pós edital eu vou pontuando os tópicos que eu revisarei na semana de véspera.

Para mim, a semana de véspera é uma das mais importantes, deixo para relembrar os principais pontos que a banca costuma cobrar e aqueles mais de decoreba. No dia antes da prova eu também estudo. Em Goiás fiquei focado, no dia anterior à prova, na legislação específica decorando os prontos que ainda podia e isso me garantiu boas questões.

Eu acredito que dá para estudar sem problemas na véspera, basta que descanse bem na hora de dormir. No outro dia sua mente estará com muita informação fresca.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Pedro: O meu principal erro foi demorar um pouco a perceber que você tem que se adaptar a banca. Minha primeira prova foi o ISS Criciúma. Eu estava sabendo demais, tanto que fazia simulados em casa e ia extremamente bem, mas na hora da prova fui super abaixo do que imaginava. Isso ocorreu porque eu estudei o pós edital sem muita mudança do que fazia no pré, continuei fazendo questões da FCC como de costume e não tentei “adivinhar” a forma como a FEPESE queria que eu estudasse.

No pós edital, ao ler ele, já dá pra pegar algumas informações de como a banca quer que você estude. Ao fazer as questões dela, dá para se acostumar com o estilo de cobrança e já supor possíveis questões que virão.

Meu maior acerto foi ter mantido a constância no estudo e o foco. Eu não desfoquei do que queria e tinha uma rotina religiosa que eu jamais quebrava, independente do que acontecesse.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Pedro: Abdicar do convívio da família e amigos é o mais difícil. Ver todo mundo se divertindo enquanto você tá estudando não é fácil, mas em nenhum momento pensei em desistir.

Eu simplesmente me desafiei a passar. Dizia para minha família que ou eu morreria ou seria auditor fiscal, ou seja, jamais eu iria parar de estudar antes de passar, não importava quanto tempo fosse necessário.

Também gostava de ver alguns vídeos motivacionais e imaginar minha vida pós aprovação.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Pedro: Era imaginar a minha alegria no dia em que eu passasse, o orgulho que a minha família sentiria e minha vida no futuro.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Pedro: Entenda que sua vida irá mudar totalmente. Acho importante tratar o concurso como prioridade na sua vida. No meu caso, eu só sabia conversar sobre concurso público, eu respirava concurso público 24h por dia.

Tenha amigos que cultivam os mesmos objetivos que você, mantenha distância dos seus amigos de farra, eles vão entender caso realmente se importem com você.

Dois dos meus grandes amigos estudavam para concurso também e isso ajudou demais. Nós mantínhamos contato quase diário, cobrávamos resultado um do outro e nos ajudávamos nos momentos ruins. Sem eles seria mais difícil.

Também gostaria de mencionar um grupo de whatsapp muito especial do qual faço parte até hoje “FUTUROS FISCAIS, P***!” que me ajudou demais a longo da preparação. São pessoas sensacionais que se ajudam e dividem o mesmo sonho. A única certeza que temos é que todos seremos auditores um dia.

Por fim eu digo que estudar para concurso público é para poucos, não será fácil e momentos tristes ocorrerão ao longo do caminho. Não tenha nunca pena de si mesmo, porque a maioria “lá fora” estará, no fundo, torcendo pelo seu fracasso.

Encare os momentos difíceis de frente e todos os dias peça forças a Deus para continuar na batalha. Uma hora sua vitória chegará!!!

ENTREVISTA EM VÍDEO:

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso Analista e Assistente DPE AM 2019 Dos 134 primeiros colocados, 52 são nossos alunos
  • Concurso SEFAZ-AL 2020 - Auditor Fiscal Dentro das 60 vagas ofertadas, 32 são nossos alunos
  • Concurso DEAP SC - Agente Penitenciário Feminino 2019 Das 50 melhores colocadas, 16 são nossas alunas
  • Concurso MP RJ - Oficial 2019 Dos 10 primeiros colocados, 6 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Técnico Administrativo Dos 10 primeiros colocados, 7 são nossos alunos