Entrevista - Aprovado concurso Banco da Amazônia

Entrevista:

ENTREVISTA: Matheus Peçanha – Aprovado em sétimo lugar na ampla concorrência e em primeiro como PCD no concurso do Banco da Amazônia

“O estudante de concurso deve pensar no futuro e não ir preparado apenas para ver seu nome na lista de aprovados, mas também ir preparado para a queda. Caso seu nome não apareça, não se desespere, continue estudando, mantenha a mente calma e foque no resultado que você deseja, pois como alguém disse “o sacrifício é momentâneo, mas a conquista é para sempre”

Confira nossa entrevista com Matheus Peçanha, aprovado em sétimo lugar na ampla concorrência e em primeiro como PCD no concurso do Banco da Amazônia:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Matheus Peçanha: Chamo-me Matheus da Silva Sales Peçanha, tenho 20 anos, graduando do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Roraima. Sou de Roraima e, atualmente, moro em Boa Vista-RR

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Matheus Peçanha: Durante minha preparação tive que conciliar trabalho com estudos. Antes da prova do BASA eu estagiava na agência localizada no meu estado e foi no estágio que descobri quando abriu o concurso, no entanto, fui aprovado ano passado em um concurso para estágio na Seccional da Justiça Federal de Roraima e preferi optar pelo estágio da SJRR.

Tive que reformular meus horários, meu dia começa às 5h da manhã nesse horário pratico esportes e leio livros. Além disso, na SJRR trabalhava das 8h ás 12h, chegava em casa 12Hh30, almoça rapidamente e começava a estudar. No horário das 16h às 22h fico na faculdade, mas matei umas aulas para poder me dedicar melhor para prova – ainda bem que fui aprovado.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último?

Matheus Peçanha: Já prestei 4 concursos com o do BASA, o primeiro prestei com 18 anos de idade, havia saído a pouco tempo do ensino médio e prestei a prova do Conselho Regional de Medicina Veterinária e fiquei em caráter de reserva. Fiquei em caráter de reserva, também, no concurso do Instituto de Previdência do Estado de Roraima e o último concurso que eu prestei foi o do SETRABES, uma semana anterior ao da prova do BASA, não obtive êxito.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Matheus Peçanha: A sensação foi de surpresa momentânea e logo de alívio e felicidade, pois vi que o tempo que dediquei para a prova foi recompensado.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Matheus Peçanha: Minha vida social sofreu alguns cortes, não sou muito fã de televisões, baladas shows, não possuo redes sociais e etc. Os cortes que fiz foi com relação a sair com minha namorada, jogar bola, jogar vídeo game e sair para correr. Meus estudos sempre defini como prioridade e desde meu ensino médio já adoto uma postura mais radical de estudos, como ficar sem celular, acordar às 6h no sábado e domingo para estudar e entre outras medidas.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Matheus Peçanha: Namoro, tenho uma vida de itinerante, de vez em quando fico na casa do meu pai e de vez em quando na casa da minha namorada. Meu pai compreendeu meus estudos sempre apoiou, ele mesmo é aposentado como auditor fiscal do TCE e minha namorada desde o ensino médio entende meu posicionamento com relação a estudos.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho?

Matheus Peçanha: Durante minha jornada não houveram concursos semelhante ao do BASA, mas prestei a prova do SETRABES, mas não fui bem. O BASA ainda não é meu sonho, mas ele foi um passo para me motivar a atingir meu objetivo.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Matheus Peçanha: O concurso que eu almejo é o de analista do BACEN e pretendo continuar me preparando para ele, pois o concurso é de alto nível e terei dá dedicação exclusiva para ele.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Matheus Peçanha: Estudei 2 meses, aproximadamente, sempre fui disciplinado com relação a estudos, mas só comecei a estudar para prova do BASA assim que o edital saiu, pois estava estudando para outra prova anteriormente.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Matheus Peçanha: Usei somente o material do Estratégia. Achei a plataforma completa e não vi desvantagens com relação ao material, a única desvantagem é que não posso agradecer aos professores pessoalmente.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Matheus Peçanha: Conheci o Estratégia por um colega da universidade no primeiro semestre, ele já utilizava o material do Estratégia e pedi para dá uma olhada nos PDFs, desde então quando me perguntam sobre concurso ou os que eu presto eu apenas recomendo e uso o material do Estratégia, pois vejo que tem qualidade.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos?

Matheus Peçanha: Estudei todo conteúdo conforme era lançado na plataforma, estudei através da leitura dos PDFs, da resolução exercícios e da construção resumos.

Estudei todas as matérias ao mesmo tempo, mas sempre focando no específico e nunca negligenciando os básicos. Por dia, estudava 3 aulas de específica, como, por exemplo, noções de conhecimento bancário, técnicas de venda e CDC e duas gerais.

Foquei muito na resolução de exercícios e revisões semanais através deles, os meus resumos montei a partir das respostas das questões.

Não tive um plano de estudos totalmente definido, pois tinha minha faculdade ao mesmo tempo e o trabalho, logo sempre estudei nos horários livres, ficava na biblioteca até ela fechar e quando terminava o serviço mais cedo ou ficava sem serviço momentaneamente ficava estudando no trabalho.

O único plano que eu utilizei foi para a resolução de questões, como, por exemplo, ao terminar a aula 00 apenas iria resolver os exercícios dessa aula quando terminasse de estudar a aula 01 e assim por diante até o fim das aulas. Além disso, havia me planejado para tentar terminar os temas na semana da prova para que eu pudesse focar nas revisões, no entanto, não havia concluído as aulas de português, que por coincidência eram minha fraqueza, mas ainda bem que acertei todas as questões, pois busquei superar essa dificuldade de forma organizada.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Matheus Peçanha: Português sempre odiei essa disciplina, mas ao mesmo tempo sempre tive a vontade de aprender ela. Para superá-la estudei com calma e batendo cabeça nas questões.

O que vi com relação a essa dificuldade é que não adianta correr dela, porque ela cai em todas as provas e vi que tinha de enfrenta-la.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Matheus Peçanha: Na reta final distribui de forma homogênea, pois os assuntos específicos foram fáceis e faltava eu lapidar alguns temas dos gerais. Foquei neste momento na resolução de exercícios e em tentativas mal sucedidas na elaboração de mapas mentais.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Matheus Peçanha: Aconselho fazer o que gosta, na minha semana eu revisei, mas também voltei a ler meus livros e nesse momento selecionei um livro para me distrair (IT- a coisa) também saí com a minha namorada e joguei vídeo game.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Matheus Peçanha: O maior erro é se culpar, caso erre uma questão ou várias durante a sua preparação NÃO SE DESESPERE. Ademais, em alguns momentos eu ficava muito irritado, pois estudo sozinho em casa e em bibliotecas e a interferência sonora tirava minha concentração e por esse motivo ficava com raiva, ansioso e dentre outras emoções que somente me atrapalhavam.

O acerto foi o foco, uso uma frase desde o início do ensino médio “foco no objetivo real” e essa frase me motiva, como também tive a capacidade de perceber meus erros durante os estudos, aceitá-los e solucioná-los

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Matheus Peçanha: Falam muito, nunca me considerei concurseiro, mas me considero um estudante. O problema de quem diz que está estudando para todo mundo é que essa pessoa não estuda e apenas busca status dizendo que está estudando para concursos e etc.

Ademais, muitos não sabem como é se sacrificar para estudar a sério.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Matheus Peçanha: O estresse, como eu disse, a interferência sonora me irritava e acabava ficando irritado e ansioso. Minha principal motivação foi querer sair de casa.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Matheus Peçanha: Por fim, recomendo se manter calmo e entender que é uma prova, mas claro, essa prova pode mudar sua vida. Além disso, vai ter momentos que o cansaço mental vai bater de uma forma bem forte e não adianta continuar insistindo nos estudos, apenas se distraia, faça o que gosta, curta sua família e amigos e quando se sentir melhor volte aos estudos com força.

O estudante de concurso deve pensar no futuro e não ir preparado apenas para ver seu nome na lista de aprovados, mas também ir preparado para a queda. Caso seu nome não apareça, não se desespere, continue estudando, mantenha a mente calma e foque no resultado que você deseja, pois como alguém disse “o sacrifício é momentâneo, mas a conquista é para sempre.

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • TRF 4a Região - 2019 14 alunos do Estratégia ficaram em 1º lugar, em suas respectivas regiões
  • Tribunal de Justiça-PR 2019 Dos 10 primeiros colocados, 7 foram nossos alunos
  • Agente da Polícia Federal 2018 Dos 180 aprovados, 113 foram nossos alunos
  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x