ENTREVISTA: Marcel Poeta Faria - Aprovado no concurso da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul no cargo de Inspetor

Entrevista:

ENTREVISTA: Marcel Poeta Faria – Aprovado no concurso da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul no cargo de Inspetor

“A principal motivação é vencer a si mesmo. Provar que você pode ser melhor que os outros. O que o motiva a estudar muito, é pensar que, caso haja muita dedicação, será a última vez que precisará estudar”

Confira nossa entrevista com Marcel Poeta Faria. Aprovado no concurso da Polícia Civil do Estado do Rio Grande do Sul no cargo de Inspetor:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você. Assim, as pessoas que nos assistem, podem conhecê-lo melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Marcel Poeta Faria: Sou formado em Engenharia Civil, área das Exatas. Tenho 32 anos. Moro em Porto Alegre há quase 14 anos, mas sou natural do interior do RS.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava? Como conciliava trabalho e estudos? Ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Marcel: O primeiro concurso público que fiz, foi para Engenheiro Civil da CEF em 2013. Na época, trabalhava numa construtora aqui de Porto Alegre. E como não tinha nenhuma noção de concursos, não me organizei para estudar. Apenas estudei lendo as provas dos últimos 3 concursos do mesmo cargo. Acabei passando; porém, fora das vagas e do ponto de corte. Tentei aventurar-me com a mesma tática em outros 2 concursos sem estudar; em 2013 e 2014. Mas com desempenho insatisfatório, optei por parar de realizar concursos.

Em junho de 2017, em função da crise, acabei saindo da empresa e decidindo levar realmente a sério os estudos para concursos. Foi aí que surgiu o Estratégia, tendo o privilégio de me dedicar exclusivamente aos estudos. Adquiri: o Pacote do IGP-RS (prova em julho de 2017); Pacote da DPE-RS (prova em setembro de 2017); Pacote da PC-RS (prova em fevereiro de 2018) e, por último, o Pacotaço da SEFAZ-RS (cujas provas serão em fevereiro de 2019). Então, ao longo desses últimos 18 meses (com alguns intervalos sem estudos), dediquei-me exclusivamente aos estudos.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último?

Marcel: Até o momento, tive 4 aprovações em concursos. Em 2013, 90º lugar para Engenheiro Civil da CEF (fora do ponto de corte que constava no edital). Em 2017, 224º lugar para Engenheiro Civil Perito do IGP-RS (fora das vagas, mas na suplência) e 10º lugar para Engenheiro Civil Analista da DPE-RS (fora da vaga, mas na suplência). E o último foi em 2018, 80º lugar para Inspetor da PC-RS (dentro das vagas e recém convocado para o Curso de Formação na Academia de Polícia).

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Marcel: Sensação de felicidade, orgulho, alívio e de que todo esforço foi, de fato, feito da maneira certa e recompensado.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Marcel: Tinha uma vida social bem ativa. Não necessariamente com muitas festas. Mas sempre encontrando amigos, indo a bares, realizando churrascos, jogando futebol, etc. Apesar de ter tempo suficiente para administrar os estudos e vida social, como começo a estudar apenas após saírem os editais, acabava por uma postura bem radical. Até atingir metas, que estipulava, a cada concurso. Ou seja, a postura não era muito em função da aprovação mais rápida. Mas sim em vencer todas as aulas dos Pacotes do Estratégia, no intervalo entre os editais e provas.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Marcel: Sou solteiro, sem filhos e sem namorada. Moro sozinho em Porto Alegre, em apartamento próprio. Meus pais moram no interior do RS. Minha família apoiou totalmente. Desde a época que saí da iniciativa privada em julho do ano passado. Em função dos anos como empresário na construtora, consegui juntar uma boa quantia de recursos. O que me permitiu meu sustento até outubro deste ano. Já havia acordado com meus pais que, quando finalizasse minhas economias, eles passariam a me ajudar. Arcando com minhas despesas e necessidades mensais.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho?

Marcel: Na verdade, não possuo um concurso “dos sonhos”. Venho realizando todos concursos que minha graduação permite e que sejam no âmbito estadual (RS).

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos? Com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Marcel: Com certeza. Muitas matérias se repetem. Então, a cada novo concurso com matéria já vista, o estudo fica cada vez mais fácil e o conteúdo mais fixado. Passei no concurso da PC-RS (com Academia de Polícia a iniciar). E sigo estudando para o concurso de Auditor Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ-RS). Após a prova, planejo segurar, por ora, os estudos para novos concursos.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos? Mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Marcel: Somente estudei a partir das publicações dos editais. Para a aprovação no concurso da PC-RS, estudei em torno de 60 dias. Minha dedicação foi exclusiva, com média de 12 horas de estudo por dia. Mas que podia chegar até mais. Raramente, tirei dias de lazer. Agora, para o concurso da SEFAZ-RS, como o edital foi publicado 5 meses antes das provas, minha preparação está completando 90 dias, com menos de 60 dias ainda até a prova. A rotina mantém-se a mesma da PC-RS. Porém, reduzirei abruptamente com o início do Curso de Formação da Academia de Polícia.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Marcel: Utilizei apenas o material disponibilizado pelo Estratégia, no Pacote completo: videoaulas e PDFs. Na reta final, via as provas anteriores e semelhantes. Há vantagem semelhante, tanto nas videoaulas quanto nos PDFs. Como poder assistir/ler em qualquer horário e lugar. Como quase 90% das matérias eram novidades para mim, iniciava cada aula assistindo à respectiva videoaula. Assim, ambientava-me no assunto (além de já aprender, lógico). Depois, seguia com a leitura do PDF e realizava os exercícios. Não vejo desvantagens nos materiais.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Marcel: Por um vídeo do YouTube, sobre a Receita Federal.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Marcel: Sim, estudava todas ao mesmo tempo, várias no mesmo dia. Senão, não atingiria todo conteúdo do Pacote completo. Na época do concurso da PC-RS, foram 12 matérias estudadas simultaneamente (agora para a SEFAZ-RS são 16 matérias). Realizei resumos somente para matérias nas quais os materiais do Estratégia não ofereceram resumos.

Minha organização foi feita por meio de metas de aulas/dia. Para que eu matasse todo conteúdo de 10 a 14 dias antes da prova (para me dedicar a reler os resumos e as provas anteriores). Durante o período de “aprendizado”, a rotina sempre foi videoaula + conteúdo do PDF + exercícios do PDF. Nos últimos 10 a 14 dias, relia os resumos e as provas anteriores.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Marcel: Na época do concurso da PC-RS, como nunca havia estudado Direito, tinha todas as matérias com a mesma dificuldade. Apenas em Português, em Matemática e em Informática não tive dificuldades. O que fiz para superá-las, foi reler várias vezes os resumos, quando necessário. Atualmente, para o concurso da SEFAZ-RS, venho tendo dificuldades com TI e não vejo como superá-las sem reler o conteúdo e fazer exercícios.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso? Ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na releitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Marcel: Sempre tratei as matérias de forma igual. Se fosse ler 10 vezes a matéria A, iria ler 10 vezes a matéria B. Se fosse ler 20, todas seriam 20 vezes, etc. Como comentei acima, nos últimos 10 a 14 dias (ou somente quando terminasse 100% das aulas do Pacote completo), fiquei apenas lendo resumos e as provas anteriores, de forma repetitiva, até o dia da prova.

Estratégia: Por um lado, na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando, intensamente, dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Marcel: Aconselho a não mudar o que fez em toda a preparação. Penso que o ritmo tem que ser o mesmo até o dia da prova. Como dizem, a corda deve estar “esticada”. Talvez, no dia anterior, relaxar assistindo ao Aulão de Véspera do Estratégia (hehehe).

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Marcel: Minha preparação foi apenas lendo as aulas que faziam parte do Pacote completo. Como havia muito matéria para ler e estudar, apenas li o material. E via meu estilo de escrita em redações antigas ou de concursos anteriores. Também montei “receita de bolo” para a redação. Com termos genéricos que poderia incluir na introdução, início dos parágrafos de desenvolvimento e termos genéricos para a conclusão. Penso que cada um possui sua melhor forma de estudar para a prova discursiva.

Eu sempre tive um estilo de escrita com o qual obtenho boas notas. Então, evito escrever redações para não me prender em assuntos específicos. E ficar aberto para o que surgir no dia da prova. Como lemos várias matérias e assuntos para estudar, além de ouvirmos rádio ou lermos notícias para estarmos atualizados, penso que o candidato capacitado, tem condições para escrever sobre qualquer assunto.

Resumindo: manter-se informado sobre as atualidades. Principalmente, relacionadas ao órgão do concurso. E preparar um “roteiro”/”receita de bolo” para, quando for montar a redação, apenas ir lançando as ideias dentro do esqueleto montado.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Marcel: Como erros, cito o fato de não reler ou fazer resumos como seria o ideal. Por outro lado, em função de estudar somente após o edital e ter um conteúdo muito grande no Pacote, penso que fiz tudo “certo” com o tempo e meios que tinha.

Como maiores acertos, cito minha disciplina, organização, metas, foco, resistência para assuntos ou desejos que me fariam atrasar minhas metas. Por ter uma postura tranquila, tendo a consciência de estar fazendo o melhor possível. E nunca querer saber 100% da matéria, além de não se preocupar com isso para não trancar a preparação.

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem preparar-se para concursos?

Marcel: Penso que os maiores erros são: cair de paraquedas nos concursos sem estudar com preparação adequada. A não ser que seja para ter uma primeira experiência ou gastar dinheiro. Perder o foco (manter o mesmo ritmo e concentração do primeiro dia até a prova). Perder tempo, querendo entender 100 ou até 110% da matéria, etc.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Marcel: Sem dúvidas, o mais difícil foi ler muitas páginas e resolver muitos exercícios. São muitas horas dedicadas. Mas tudo é recompensado, quando vemos nossa aprovação.

A principal motivação é vencer a si mesmo. Provar que você pode ser melhor que os outros. O que o motiva estudar muito, é pensar que, caso haja muita dedicação, será a última vez precisará estudar.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Marcel: Faça um planejamento e metas. Cumpra as metas. Tenha foco, paciência, força e dedicação. Com seriedade, sem dúvidas, o resultado virá!

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Administração Tributaria Dos 591 aprovados, 475 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Técnologia da Informação Dos 68 aprovados, 52 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / AUDITOR FISCAL Dos 303 aprovados, 253 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x