ENTREVISTA: Luiz Gustavo Grossi - Aprovado no concurso ISS Guarulhos

Entrevista:

ENTREVISTA: Luiz Gustavo Grossi – Aprovado no concurso ISS Guarulhos

“Mantenha a disciplina inexorável. Faça o que tem que fazer, mesmo sem vontade de fazer. Utilize um bom material, que lhe faça entender os assuntos. Entenda que a releitura é praticamente inevitável, tanto para assimilação quanto para memorização. Faça o máximo de questões possível, revisando e aprendendo com o que errar (recomendo o Método 4.2 do Prof. Rafael Barbosa) – melhor errar em casa do que na prova. Dê repouso, mesmo que mínimo, ao corpo e à mente. Procure manter a cabeça limpa de pensamentos negativos e focada no seu objetivo”

Confira nossa entrevista com Luiz Gustavo Grossi, aprovado no concurso ISS Guarulhos:

Estratégia Concursos: Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é? 

Luiz Gustavo Grossi: Sou Engenheiro Civil. Tenho 28 anos. Sou de São Paulo-SP.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Luiz: Não gostei da minha experiência no mercado de trabalho (iniciativa privada), em particular das suas mais notáveis características: as oscilações, as instabilidades, as avarezas, etc. No concurso público (pesquisando sobre e também conversando com as pessoas concursadas que conheço), vislumbrei oportunidade de sair da iniciativa privada.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso? 

Luiz: Trabalhava e estudava. Como meus horários de trabalho são, em geral, flexíveis, eu guardava minhas manhãs para estudar. Trabalhava o restante do dia.

Estratégia: Em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Luiz: Só o fui em um: ISS Guarulhos. Cargo: inspetor fiscal de rendas. Colocação: 44º.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados(as)?

Luiz: Felicidade enorme, alívio e dever cumprido.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Luiz: Minha vida social ficou muito mais restrita, mas não absolutamente. Como gastava meu tempo estudando (manhã inteira) ou trabalhando (restante do dia), ambos trancafiado num ambiente fechado e sozinho, tive de abrir mão de muitas coisas e de muitas relações pessoais – mas eu tinha entendimento de que era uma fase, não filosofia de vida. Mesmo assim, no pré-edital, usualmente sábado à noite e domingo inteiro eu tirava para repousar, sair com amigos, namorada, família, etc. No pós-edital, só sábado à noite e domingo à tarde e à noite (às vezes, nem isso!).

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma? 

Luiz: Namoro, não tenho filhos e moro atualmente com minha mãe. Todos da minha família (incluindo, claro, minha namorada) compreenderam o esforço, disciplina e tempo que são necessários para a aprovação. Assim, quanto à forma de me apoiar, foi basicamente respeitar meus momentos de concentração (isolamento) e me incentivar nos momentos de instabilidade emocional (desânimo, por exemplo).

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Luiz: Entendo que sim, vale a pena. Se passar em algo que não é seu plano A, ao menos já garante um cargo público, principalmente se for da mesma área almejada (fiscal ou magistratura, por exemplo).

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso em que foi aprovado? 

Luiz: Direcionado ao concurso em que fui aprovado: cerca de 3 meses e meio (da abertura do edital (12/02/2019) à sexta-feira antes da prova (24/05/2019)).

Entretanto, comecei a estudar para concursos (do zero, mas já focado na área fiscal) no início de fevereiro de 2018.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Luiz: Sim. Até a abertura do edital do ISS São José dos Campos (no fim de 2018), estudei desde o início sem edital na praça. Após essa prova, voltei a ficar sem edital algum, até a abertura do ISS Guarulhos. A disciplina foi mantida com foco e objetivo claro na mente: passar. Além disso, a máquina pública tem que funcionar. Editais de interesse (mesmo que às vezes não de total interesse) vão aparecer, inevitavelmente, pois servidores aposentam, falecem, pedem exoneração e congêneres, liberando as vagas que ocupavam. Enquanto não surgem os editais, o estudo pré-edital é essencial, principalmente em áreas com ementas muito extensas e/ou muito concorridas.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos? 

Luiz: Pelas divulgações na internet. Além disso, uma amiga de uma amiga da minha mãe é professora no Estratégia e nos conhecemos numa viagem.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Luiz: Usei 4 fontes: PDFs, videoaulas e fórum de dúvidas (os 3 do Estratégia Concursos) e questões no site TecConcursos.

– PDFs. a) Vantagens: é possível avançar rapidamente nos assuntos, fazer anotações, grifos, voltar mais facilmente para rever alguma informação. b) Desvantagens: muitas vezes, principalmente quando somos “novatos”, entendo que somente ler sobre um assunto novo gera certa insegurança. Além disso, outros sentidos físicos para o aprendizado, como audição, não são usados.

– Videoaulas. a) Vantagens: geralmente os professores “mastigam” mais os assuntos do que nos PDFs/livros, tornando a assimilação mais fácil. Também utilizam mais sentidos físicos para aprendizado (visão, audição). b) Desvantagens: o aprendizado demanda muito mais tempo e nem sempre o professor consegue cobrir todas as informações do PDF/livro. A revisão de alguma informação é praticamente inviável. Assim, inevitavelmente tem de ser complementado por um material escrito, inclusive para ter acesso a mais questões para treinar.

– Fórum de dúvidas. a) Vantagens: esclarecem eventuais dúvidas, usualmente em tempo hábil de a dúvida ainda estar fresca na mente. Além disso, dúvidas de outros alunos podem ser úteis. b) Desvantagens: tirar uma dúvida presencialmente normalmente é melhor do que num fórum somente escrito. Ainda, às vezes ocorre de a dúvida demorar a ser respondida no fórum, o que prejudica o andamento natural dos estudos.

– Questões no site TecConcursos. a) Vantagens: há uma gama gigantesca de questões, com diversos filtros (por exemplo, escolher as bancas, escolaridade, etc.) e comentários/explicações de professores. É excelente para treinar muito os assuntos e também os estilos e “jurisprudências” de cada banca. b) Desvantagens: há algumas poucas questões sem comentários de professores ou com explicações supérfluas. Nem sempre é tão simples encontrar os assuntos que você deseja. Algumas vezes, há questões de concursos muito específicos, num nível de profundidade muito alto, que não são aplicáveis ao seu concurso – acabam mais atrapalhando do que ajudando (acontece, por exemplo, em matérias como Tecnologia da Informação e Direito Penal).

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Luiz: Eu segui à risca o Método 4.2 do Prof. Rafael Barbosa (do Estratégia Concursos): estudava 6 disciplinas por vez, sendo 3 por dia, intercalados. O Método é bem explicado no canal dele do YouTube. Não fiz resumo algum. Tudo, conforme o Método 4.2, baseado em leitura, releitura e questões, muitas questões (do TecConcursos e dos PDFs). Montei meu plano de estudos exatamente, como já dito, como o Método 4.2 do Prof. Rafael Barbosa. Toda semana eu preenchia uma planilha com os assuntos estudados, quantidade de questões e porcentagem de acertos. Está tudo bem explicado no canal do mencionado professor. Quanto às horas diárias de estudo: por volta de 5 a 6 horas (em geral, das 6:30 h da manhã até 12:00 h). Entre as matérias, intervalo de 15 a 20 minutos obrigatório.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Luiz: Sim. Tinha mais dificuldade, no início, em disciplinas como Contabilidade Geral, pois o conteúdo é todo entrelaçado, de modo que o que se aprende no fim serve de base no começo. Também em alguns assuntos pontuais de Direito Constitucional, Direito Civil e Direito Administrativo, que exigem muita memorização ou jurisprudências diversas. Para superar as dificuldades, às vezes recorria às videoaulas, mas usualmente era na releitura e muitas questões. Como diz a frase clássica: “a repetição com correção até a exaustão leva à perfeição”.

A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Luiz: O pós-edital eu fiz basicamente pelo Passo Estratégico. Na última semana, em especial, fiz somente (muitas) questões das matérias de maior peso da prova e de maior incidência da banca, pelas porcentagens apresentadas no Passo Estratégico. A véspera de prova foi dia de descanso (e para me deslocar até Guarulhos para me hospedar). 

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Luiz: Como erros, creio que posso apontar alguns pontos de instabilidade emocional, que comprometem os estudos. Além disso, no pós-edital, tentei estudar inicialmente Tecnologia da Informação por um “intensivo em videoaulas pós-edital” do Estratégia, sendo que nunca havia estudado o assunto na vida. Foi total perda de tempo (estimo umas 2 semanas): depois tive de adquirir o pós-edital completo e me debruçar nele meio açodado, pois gastei tempo (precioso) à toa no outro. Como acertos, entendo que a disciplina inexorável que mantive foi fundamental, bem como o uso de materiais de qualidade (PDFs, TecConcursos, etc.) e um estudo organizado (Método 4.2 do Prof. Rafael Barbosa).

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Luiz: Há vários pontos de dificuldade na jornada: manter a disciplina, privação de sono e restrição de vida social, cansaço, medo de jamais passar, etc. Como mais difícil para mim, creio que foi superar o cansaço corporal, mental e emocional. A disciplina dá o norte para superá-los – mas também temos de saber a hora de respeitá-los. Sim, cheguei a pensar em desistir em momentos pontuais, por questões de desânimo, por pensar que haveria muitas pessoas com mais tempo de estudo e, portanto, mais capacitadas do que eu (isto é, que eu não passaria, que estava perdendo tempo, cansaço e dinheiro). Para seguir em frente, tentei manter a calma, focar na disciplina e na vontade de passar, mesmo sendo “algum dia no futuro”. Como dizem, a ideia não é estudar para passar, mas sim até passar.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação? 

Luiz: Sair do mercado de trabalho (iniciativa privada).

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Luiz: Mantenha a disciplina inexorável. Faça o que tem que fazer, mesmo sem vontade de fazer. Utilize um bom material, que lhe faça entender os assuntos. Entenda que a releitura é praticamente inevitável, tanto para assimilação quanto para memorização. Faça o máximo de questões possível, revisando e aprendendo com o que errar (recomendo o Método 4.2 do Prof. Rafael Barbosa) – melhor errar em casa do que na prova. Dê repouso, mesmo que mínimo, ao corpo e à mente. Procure manter a cabeça limpa de pensamentos negativos e focada no seu objetivo.

Deixarei duas frases de que gosto bastante (uma já citada):

“A repetição com correção até a exaustão leva à perfeição”.

“Se A é o sucesso, então A é igual a X mais Y mais Z. O trabalho é X; Y é o lazer; e Z é manter a boca fechada”. (Albert Einstein)

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]


Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Administração Tributaria Dos 591 aprovados, 475 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Técnologia da Informação Dos 68 aprovados, 52 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / AUDITOR FISCAL Dos 303 aprovados, 253 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x