ENTREVISTA: Lucas Robert - Aprovado em 2º lugar no concurso TJ-MA no cargo de Técnico Judiciário/Apoio Técnico Administrativo

Entrevista:

ENTREVISTA: Lucas Robert – Aprovado em 2º lugar no concurso TJ-MA no cargo de Técnico Judiciário/Apoio Técnico Administrativo

“Seja humilde nos seus estudos. Se você está começando, assuma que você não sabe de NADA sobre estudos, planejamento, etc. Logo, procure aprender com pessoas experientes. Além disso, siga seus estudos de forma humilde, sempre avançando com cuidado e sempre ajudando as pessoas que precisam” 

Confira nossa entrevista com Lucas Robert, aprovado em no concurso TJ-MA em 2º lugar no cargo de Técnico Judiciário/Apoio Técnico Administrativo:

Estratégia Concursos: Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é? 

Lucas Robert Negreiros: Sou formado em Engenharia Civil, pela Universidade Federal do Piauí. Tenho 24 anos e sou de Teresina, capital do Piauí.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Lucas: Minha família sempre me influenciou a estudar para concursos, antes mesmo de eu entrar no Ensino Superior. Até um pouco mais da metade do meu curso, acreditava que não precisaria entrar no mundo dos concursos: estava certo de que encontraria algo com que me identificasse na área privada. No entanto, assim que entrei no sétimo período do curso e comecei a estagiar, pude ver, de forma mais realista, a situação da minha área na esfera privada. Isso me desmotivou muito durante os últimos períodos do curso, mas acabou por me lembrar de que ainda existia outra saída: o concurso público. 

Comecei a pesquisar sobre concursos quando estava no meu oitavo período. Passei muitos dias apenas digerindo e mapeando como os concursos funcionavam, quais áreas existiam, etc. Até que, depois de muita análise, vi que existiam concursos fora da área de Engenharia Civil, que poderiam me agradar muito, seja pela remuneração, mas principalmente pela rotina. E, a partir daí, segui minha vida dividindo minha atenção entre concursos e, também, para finalizar meu curso superior. 

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso? 

Lucas: Até a minha aprovação, tive duas fases de estudo: uma antes de me formar, estagiando pela manhã e dividindo o resto do dia entre o estudo para concursos e para finalizar meu curso superior; outra depois de formado, tendo o dia livre para estudar. 

Estratégia: Em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Lucas: Até agora fiz dois concursos: um para Assistente Administrativo da UFPI (que não obtive êxito). Logo em seguida, para Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça do Maranhão (no qual logrei o 2° lugar).

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados(as)?

Lucas: Foi uma situação bem engraçada. Primeiro, porque saí da prova do TJ-MA com esperanças quase nulas de passar. Havia mais de 44 mil inscritos para o cargo em que eu concorria, ou seja, tinha ido pra prova com o pensamento de dar o meu melhor, mas sem muitas esperanças. No dia do resultado, estava bem tranquilo jogando um jogo online, quando avisaram em um grupo do WhatsApp que o resultado havia saído. Fui ver o resultado bem sem expectativas, e, na pressa, abri a lista de classificados, mas não havia percebido que era uma lista de cotas. Olhei a lista, não vi meu nome e só pensei “já sabia”. Até que percebi que o número de classificados era bem menor do que o edital previa, então percebi que estava olhando a lista errada e fui pra de Ampla Concorrência. Assim que a abri, vi meu nome na 2° posição. Fiquei em estado de choque. Mandei a lista pra minhas irmãs e um amigo conferirem se estava certo… Comecei a chorar de alegria. É uma sensação indescritível. Depois disso, ainda passei uma semana inteira baixando a lista novamente pra saber se aquilo era real. 

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Lucas: Esse ponto nunca me causou grandes problemas, pois eu tenho um estilo de vida bem caseiro. Como não tinha muita necessidade de sair, ou de fazer outras coisas, a falta de convívio social não me abalou tanto. Mas, como minha rotina de estudo não exigia tantas horas por dia, sempre tive momentos livres e gostava de encontrar vizinhos pra conversar, comer algo, outras coisas mais simples.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma? 

Lucas: Sou solteiro. Moro com meus pais e irmãs, e todos sempre me apoiaram demais nessa vida de concursos (uma das minhas irmãs, inclusive, me apoiou em excesso, rs). 

Assim que me formei, pedi ao meu pai que permitisse que eu ficasse um ano em casa, estudando. Então, tive um ano tranquilo para estudar, mas sempre procurando dar o mínimo de despesas (afinal, é uma oportunidade ímpar você ter o dia todo para estudar, então, o ideal é fazer jus a isso da melhor forma).

Graças a Deus, tive ajuda da minha irmã para conseguir comprar os materiais do Estratégia, essenciais pra uma preparação de qualidade. 

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Lucas: Acho que depende da situação. Se você tem um concurso em vista, com previsão de ter edital lançado e, de fato, é o que quer, é essencial que foque apenas nele. No entanto, se esse concurso não tem previsão alguma, acho super válido tentar o que chamam de “concurso-escada”. Um concurso que seja de nível mais simples e que tenha matérias correlatas ao concurso final que você almejar. 

Não acho que seja válido sair fazendo concursos sem o mínimo de semelhança com as matérias cobradas pelo o concurso que você realmente deseja. Primeiro, porque você vai depositar sua atenção e aprendizado em matérias que provavelmente você não usará mais depois, causando, inclusive, uma diminuição de rendimento nas matérias que realmente importam para o seu foco final. Segundo, porque fazendo isso, você deposita menos qualidade nos seus estudos, tem menos chances de passar, e começa a criar uma bola de neve que mistura perda de tempo + desmotivação + outras coisas que acabam com o psicológico do concurseiro. 

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso em que foi aprovado? 

Lucas: Embora eu já estude há cerca de 1 ano (no total), só estudei cerca de 40 dias realmente direcionado para o concurso do TJ-MA. 

O começo dos meus estudos era voltado para Área Fiscal. Passei cerca de 6 meses estudando apenas para essa área. No entanto, não tinha muita maturidade na época, então, nesses 6 meses, reiniciava os estudos constantemente, porque tudo era feito na pressa e sem planejamento, o que me causava insegurança em continuar. Com o tempo, acabei desistindo dessa área e decidi que iria migrar pra Área Administrativa, buscando primeiro passar num concurso de nível médio.

A partir daí, comecei um estudo com mais qualidade, mais planejamento e muito mais eficiência (que me permitia avançar com qualidade, sem precisar passar muitas horas por dia sentado na cadeira). 

Quando saiu o edital do TJ-MA, eu ainda estava estudando para outra prova. Assim que fiz essa prova, faltavam 40 dias para a do TJ-MA, então, esse foi realmente o tempo em que estudei direcionado para esse concurso. No entanto, considerando toda a bagagem que eu adquiri, boa parte do edital eu já tinha visto.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Lucas: Sim. Cerca de 90% do meu tempo de estudo foi antes do edital, mesmo que não focado especificamente para o concurso, mas sim para a área administrativa.

Quanto à disciplina, essa foi a parte mais dolorosa do meu estudo. Sempre fui muito desorganizado, indisciplinado e bem desmotivado. Acredito que o essencial para que eu tivesse alcançado uma boa disciplina foi tê-la desvinculado da necessidade de estar motivado. Muitas pessoas acreditam que, pra ter disciplina nos concursos, é necessário ter uma motivação constante. Mas, na verdade, isso é uma armadilha: é essencial que se pratique a disciplina sem vinculá-la a motivação. É estudar sem pensar se o trabalho vai agradar, se aquilo é realmente pra você, se você vai ser feliz, realizado, etc. Essas reflexões são importantes? São. Mas, se você é ansioso como eu, a motivação pode ser uma grande barreira nos seus estudos. 

Apenas torne o seu estudo uma rotina, goste dela ou não. Seu único pensamento deve ser de que “nenhum estudo é em vão”. 

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos? 

Lucas: Todas as pessoas que, de alguma forma, me incentivaram a estudar pra concursos, sempre utilizaram o Estratégia. Então, dei uma olhada nos materiais em PDF e vi que realmente eram bastante completos. Você não precisa de mais nada, porque a teoria é ensinada perfeitamente e, de bônus, ainda existem muitas questões comentadas. Algo pra se confiar 100% pra fazer a sua prova.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? O que funcionou melhor para você?

Lucas: Apenas PDFs e videoaulas. Usava PDFs de modo geral e, nas aulas em que eu tivesse muita dificuldade em compreender o PDF, assistia as videoaulas correspondentes.

Muitas pessoas dizem que videoaulas são perda de tempo, mas, na verdade, depende da forma como você as utiliza. Se você tem uma real dificuldade em um assunto, já leu o PDF e não consegue avançar, porque só acumula informações mal digeridas, a videoaula pode ser a solução mais rápida e simples para isso. Aconteceu inúmeras vezes comigo, de digerir sem qualidade um PDF e, ao assistir as videoaulas, conseguir digerir o mesmo assunto em muito menos tempo, e com muito mais absorção e entendimento. 

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Lucas: Não gostava de cronometrar as horas líquidas estudadas por dia, pois isso me deixava bastante ansioso. Sempre estudei estabelecendo metas para o dia, e essas metas geralmente eram simples, sempre evitando estabelecer metas excessivas, porque: 1) causam sobrecarregamento, e este causa desmotivação a longo prazo; 2) ter metas simples por dia possibilita que você estude todos os dias da semana sem cansar, além de que “de grão em grão, a galinha enche o papo”; 3) metas excessivas acarretam uma queda de rendimento com o tempo, já as metas simples proporcionam maior confiança e, consequentemente, um amadurecimento da disciplina. De modo geral, acho que estudava de 4 a 5 horas líquidas, por dia. 

Meu dia de estudo sempre foi separado em 3 etapas: 1. Revisões; 2. Avançar na Teoria; 3. Questões. 

Quanto às revisões, gostava de revisar segundo um julgamento próprio, sem me ater a regras rígidas. Sempre achei essencial fazer a revisão de 24 horas, no entanto, as demais eu estabelecia a próxima data conforme eu ia vendo a necessidade. 

Quanto ao avanço na teoria, gostava de estudar de 3 a 4 matérias por dia, estudando sempre de 10 até, no máximo, 20 páginas, em cada uma. A forma que eu considerei melhor para avançar na teoria foi fazendo marcações no PDF, no próprio computador. Leva muito menos tempo e, quando você pega a prática, suas marcações passam a ter mais qualidade que um resumo.

Quanto às questões, gostava de fazer por dia, no mínimo, 10 questões por matéria, misturando todos os assuntos que já tinha visto até então. Além disso, fazia outras questões para assuntos em específico que estivessem me dando mais dificuldade. 

Parece algo difícil de organizar, mas eu fazia toda essa organização numa Planilha, que apenas me dizia o que eu tinha que fazer, sem demais preocupações. 

Acredito que revisar e sempre avançar na teoria são essenciais. No entanto, fazer questões todos os dias é o verdadeiro diferencial para você lograr êxito. Afinal, no dia da prova, você vai resolver questões. No começo é doloroso, mas depois você consegue resolvê-las com muito mais rapidez e agilidade. Além disso, foi de extrema importância ter focado apenas nas questões da banca que realizou o concurso. Cada banca tem seu comportamento e, quando você o decifra, suas chances de ter êxito aumentam e muito!

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Lucas: No começo tive muita dificuldade em estudar os direitos (acho que devido a minha formação). No entanto, com o tempo, passei a gostar bastante de estudá-los. Tudo foi questão de adaptação.

Para o concurso do TJ-MA, a disciplina mais difícil pra mim foi Informática, devido ao modo como a FCC cobra a matéria. Para superar, tive apenas que aceitar que teria que decorar muitas coisas (risos).

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Lucas: Na última semana, mantive o mesmo ritmo de estudo das demais. Como meu estudo propriamente focado para o concurso ocorreu em muito pouco tempo, nessa semana ainda estava começando algumas matérias e finalizando muitas outras. Além disso, foquei em aprender muitos argumentos de autoridade pra discursiva, pois a FCC prioriza demais isso. 

Quanto ao dia de véspera, não usei pra folga. Na verdade, 1 hora antes da prova eu ainda estava decorando coisas de informática e argumentos de autoridade pra discursiva (risos).

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Lucas: Confesso que fui muito abençoado na discursiva. Primeiro, porque só pratiquei 2 redações. Segundo, por ter adquirido os materiais do Estratégia, do professor Raphael Reis, o que me deu o caminho certeiro pra aprender o que precisava ser aprendido pra agradar a FCC. 

Passei duas semanas inteiras destrinchando os PDFs e aprendendo todos os argumentos de autoridade possíveis. Confesso que na prática pequei MUITO. Só pratiquei duas redações, e não fazia redação há vários anos. Que bom que deu certo. 

Aconselho que você conheça bem como sua banca corrige as discursivas. Sabendo disso, priorize o que é fundamental e você sairá na frente de muitas pessoas. Mas, diferente de mim, pratique o máximo possível!

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Lucas: Minha preparação envolveu mais erros do que acertos. Durante minha caminhada, acredito que nos 6 primeiros meses cometi erros em excesso, mas que, no final das contas, foram essenciais para que nos outros meses eu tivesse um estudo de “boa performance”.

Alguns erros foram:

1) Falta de planejamento;

2) Querer avançar rápido na teoria a todo custo: isso gera um estudo de baixa qualidade e, uma hora ou outra, você vai ter que reiniciar tudo;

3) Não fazer questões: as questões são o elemento principal para que você amadureça no assunto. Se você avança na teoria sem fazer questões, uma hora ou outra você se sentirá bastante inseguro a ponto de ter que reiniciar tudo novamente;

4) Procurar estudar o máximo de horas por dia: quando você estabelece uma rotina muito pesada, nos próximos dias você tende a diminuir de rendimento. Uma hora, você não aguenta mais nem olhar para o PDF. O que isso gera? Desmotivação! Depois disso, você fica vários dias sem estudar, o que acaba compensando todo o “avanço” sem qualidade que você teve.

5) Abdicar de coisas essenciais para estudar (dormir, vida social, atividades físicas): se você dorme pouco pra estudar mais, isso pode te trazer benefícios a curto prazo, mas a longo prazo (ou talvez até bem antes), isso te prejudicará muito. Durma bem! Além disso, crie um equilíbrio com sua vida social, faça o que você gosta de fazer diariamente, pois o cérebro precisa desse equilíbrio. Quanto às atividades físicas, pratique-as regularmente. Se você não tiver condições financeiras pra entrar numa academia, faça como eu: corra, faça exercícios em casa, etc… mas acredite, é essencial!

Meu maior acerto foi ter reconhecido meus erros e ter procurado corrigir cada um. Quando eu comecei a consertar todos eles, meu estudo aumentou exponencialmente de qualidade, de modo que hoje consigo estudar todos os dias (excepcionalmente tiro um dia ou outro para descansar), sem me sobrecarregar :)

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Lucas: Sem dúvida, o sentimento de incapacidade, a ansiedade e agonia de ver o tempo passar me prejudicaram muito. 

Eu tive várias desistências durante a minha caminhada. Mas como a vontade de vencer era sempre maior, conseguia voltar aos trilhos. 

Estratégia: Qual foi sua principal motivação? 

Lucas: A esperança de que, concursado, eu possa ter condições de proporcionar bons momentos para as pessoas que eu amo.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Lucas: Para você que vai começar seus estudos, tenho a dizer que:

1) Saiba onde você está entrando: estudar para passar em concursos é uma tarefa realmente difícil, mas que, felizmente, é bastante possível!

2) Você enfrentará momentos MUITO difíceis, onde sentirá vontade de desistir. No entanto, não se deixe abalar, pois é nessa hora que grande parte dos seus concorrentes deixarão de estudar e você, felizmente, seguirá firme para atingir seus objetivos.

3) Peça que Deus abençoe os seus objetivos. O Senhor deixa bem claro que aqueles que o obedecem terão seus pedidos abençoados, segundo a vontade dEle. Aproxime-se genuinamente de Deus, pois, estudar com a certeza de que você tem um Deus, que está caminhando com você, permitirá que você avance nos estudos com menos preocupações, mais garra e mais gratidão.

4) Seja humilde nos seus estudos. Se você está começando, assuma que você não sabe de NADA sobre estudos, planejamento, etc. Logo, procure aprender com pessoas experientes. Além disso, siga seus estudos de forma humilde, sempre avançando com cuidado e sempre ajudando as pessoas que precisam. 

5) Provavelmente você passará por momentos difíceis de adequação, ainda mais se não for humilde em escutar os outros. Você não vai achar o método de estudo ideal para você de primeira… com o tempo, você fará adequações, verificará o que é melhor para você, etc. Pode ser um processo difícil, mas é um processo fundamental. 

6) Se você não é uma pessoa que lida bem com pressões externas, permita que poucas pessoas saibam dos seus projetos. Quanto mais pessoas sabem do que você faz, mais pressão psicológica (e desnecessária) você terá sobre si mesmo. 

7) Seja sincero consigo mesmo: não adianta avançar se você sente que aquilo não tem qualidade. Faça manutenções no seu método de estudo constantemente para que você se sinta bem com o que está fazendo. 

8) Sempre que possível, avance na teoria, pois as revisões servem justamente para que você entenda melhor a teoria que não foi tão bem compreendida. As questões diárias te ajudarão ainda mais nisso.

9) Durma bem, pratique atividade física e faça o que gosta diariamente. Abdique disso (de forma controlada) apenas quando sua prova realmente estiver chegando.

10) Faça planejamentos de longo prazo (como cumprir o edital?), a médio prazo (pra semana que vem) e de curto prazo (pro dia seguinte). Isso fará com que você visualize melhor o que está fazendo, e te dará mais confiança.

11) NUNCA se assuste com a concorrência. É apenas um número. Só o fato de você estudar já estará te colocando à frente de uma quantidade enorme de pessoas. Além disso, isso é algo que você não tem controle algum, logo, não adianta perder cabeça com isso. Foque apenas no que você tem controle.

12) Está há muito tempo estudando para concursos e ainda não passou? Não foque nisso! Eu sei que é frustrante e desanimador. Mas, se você for pensar no tempo que já passou, você vai piorar cada vez mais nos estudos. Apenas procure sempre dar o seu melhor, não desista e peça ajuda ao Senhor para que você tenha suas esperanças renovadas. Permita ter recomeços sem cobranças pesadas!

É isso. Sejam perseverantes, tenham fé em Deus e levantem-se quando cair. E outra: menos é mais, se você planejar bem! :)

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados

Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]


Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso SEFAZ-AL 2020 - Auditor Fiscal Dentro das 60 vagas ofertadas, 32 são nossos alunos
  • Concurso DEAP SC - Agente Penitenciário Feminino 2019 Das 50 melhores colocadas, 16 são nossas alunas
  • Concurso MP RJ - Oficial 2019 Dos 10 primeiros colocados, 6 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Técnico Administrativo Dos 10 primeiros colocados, 7 são nossos alunos
  • Concurso MP RJ - Analista Administrativo 2019 Dos 10 primeiros colocados, 8 são nossos alunos