ENTREVISTA: Gabriel Pereira de Oliveira Alencar - Aprovado no concurso da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul no cargo de Soldado

Entrevista:

ENTREVISTA: Gabriel Pereira de Oliveira Alencar – Aprovado no concurso da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul no cargo de Soldado

“Se você busca um cargo específico, vislumbre você nele, tenha ações afirmativas. Analise a banca, busque conteúdo que te auxilie nisso e planeja seus estudos de uma forma que funcione melhor para você. Mesmo que o resultado não venha de imediato, tenha perseverança, pois sua hora vai chegar, mas tem que lutar e não desistir”

Confira nossa entrevista com Gabriel Pereira de Oliveira Alencar, aprovado no concurso da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul no cargo de Soldado:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Gabriel Alencar: Olá, meu nome é Gabriel Pereira de Oliveira Alencar, tenho 25 anos, sou de Campo Grande –Mato Grosso do Sul, mas morando no momento em Paranaíba(interior de MS). Sou formado em Tecnologia em Redes de Computadores pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – UFMS.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Gabriel: Eu estagiei no Ministério Público de Mato Grosso do Sul e ali tive um contato com o serviço público que deixou uma centelha dentro de mim. Minha noiva foi o motivo que fez essa centelha criar força e que almejasse um cargo público. Acompanhando ela nas provas de concursos, foi onde fui entrando no mundo dos concursos de vez.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Gabriel: Quando comecei a estudar para concursos, já trabalhava apenas 6hrs diárias e já estava no último semestre da faculdade, cursando uma matéria somente. Então, tinha toda a tarde para estudar, pelo menos.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Gabriel: Eu já fiz mais de 15 concursos, mas considero somente 15 na contagem, que foi os que eu queria passar mesmo. Um que está de fora, por exemplo, foi do MPU que não sei nem porque fiz, não lembro nem o ano. Desses 15 concursos, fui aprovado em 12, e em 6 ficando dentro das vagas ou sendo convocado.

O último, em que estou dentro das vagas, foi o da Polícia militar de MS e anterior a este, o concurso da Câmara Municipal de Campo Grande, onde passei em 1º lugar para Técnico de TI e estou aguardando a convocação.

Mas antes de todos esses, em 2015 fui aprovado em 1º lugar para o cargo de Administrador e Suporte de Redes, na Prefeitura Municipal de Paranaíba/MS, onde estou em exercício até o momento.

2012 – Estágio MPMS – Redes – 2º lugar – Exercício: ago/12 até mar/14
2013 – Técnico TI – UFMS – 29º lugar (convocado, mas não pude assumir)
2015 – Administrador e Suporte de Redes – Paranaíba/MS – 1º lugar – Exercício: mai/18 até o momento
2016 – Técnico de TI – Dourados/MS – Reprovado
2016 – Técnico de TI – UFMS I – 7º lugar (de 5 vagas)
2016 – Técnico de TI – Naviraí/MS – 11º lugar (CR*)
2016 – Técnico de TI – UFMS II – 14º lugar (de 5 vagas)
2017 – Téc. Jud. Área TI – TRT 24ª – 22º lugar
2017 – Técnico de TI – São Gabriel d’Oeste/MS – 6º lugar (de 5 vagas/convocada, mas não quis assumir)
2017 – Administrador de Redes – UEMS – 2º lugar (de 1 vaga)
2017 – Escrivão – Polícia Civil/MS – Reprovado
2017 – Suporte de Informática – TJMS – Reprovado
2017 – Técnico de TI – Câmara Municipal de Campo Grande/MS – 1º Lugar (de 5 vagas)
2017 – Técnico de TI – UFMS – 17º lugar (de 1 vaga)
2018 – Soldado – PMMS – 27º lugar

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Gabriel: É sensacional. É o resultado de um esforço que dependeu, praticamente, somente de você. É o retorno positivo de tudo aquilo que você lutou para conseguir, daquilo que abdicou para se manter firme nos estudos. Quando seu nome é o primeiro da lista, a felicidade é ainda maior!

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Gabriel: A partir do final de 2016, quando comecei a estudar de verdade para concursos, dei uma diminuída nas saídas, baladas, mas nunca abdiquei totalmente, nem de uma forma muito rígida. Como trabalhava 6hs por dia (durante a manhã), sempre tive o período vespertino para estudar… o que me liberava para poder sair com a namorada durante a semana e final de semana curtir alguma coisa.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Gabriel: Sou noivo, sem filhos ainda. Como estou em Paranaíba no momento, interior de MS, moro sozinho, mas em Campo Grande tenho um quarto na casa dos meus pais e algumas mudas de roupas e escova de dente na casa da noiva.

Por minha família já ter servidores públicos, a maioria professores, muitos conhecidos que são servidores, meu pai é contador rural e tem contato constante com o pessoal do IAGRO, INCRA, Receita Federal e afins, e ainda eu ter estagiado no MPMS, a aceitação foi fácil. 

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Gabriel: Acredito que depende da sua situação atual da pessoa. Estabilidade no emprego, contas em casa fechando no azul, fatura do cartão de crédito em dia, sem estresse do trabalho: o foco pode ser o cargo que almeja.

Mas se a vida profissional não te contenta mais, o trabalho pesa na sua cabeça até você dormir, seus objetivos mínimos de vida não estão sendo alcançados, você se sente preso: parte para o que está mais próximo de você alcançar. Um degrau de cada vez e você chegará aonde sempre quis estar, isso se no percurso não mudar de objetivo e se encaixar em outro estilo de cargo público.

Meu objetivo atual é um cargo na área da tecnologia da informação de nível estadual. Já estou terminando os planos de estudos, relação de conteúdos, para focar 100%.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Gabriel: Eu não cheguei a estudar especificamente para o concurso da Polícia Militar. Em julho deste ano voltei a estudar para concursos, eu comecei a fazer um intensivo de Direito Administrativo: dos conceitos de Estado, governo à Intervenção do Estado sobre a propriedade privada; e mantendo Português uma noite por semana. Como tenho bastante afinidade com Matemática e RLM, não estudei. Na semana da prova da PM comecei a estudar Direito Constitucional, na espécie de intensivo também e revisando Direito Administrativo. Então para a prova da PM eu fui só com a minha carga de estudo lá de 2017.

Ainda assim gabaritei Matemática e Informática (quase que uma obrigação), errei somente uma de Língua Portuguesa. A matéria que menos pontuei foi Legislação Específica, onde só errei o conteúdo que não havia estudado mesmo, que eram as legislações estaduais, estatutos. O que caiu de Direito Constitucional, acertei.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Gabriel: Para o concurso de Paranaíba, onde estou atuando, eu estudei por 30 dias antes da prova: 7 dias português com uma apostila dessas disponíveis na internet, 7 dias Matemática e Raciocínio Lógico por vídeos na internet e Conhecimentos Específicos, só com o material da faculdade. Revisei toda a minha faculdade em 16 dias. Eu tenho todo o meu curso num HD: aulas, slides, livros, trabalhos, programas, tudo, nada físico, tudo digital. Na véspera só curti as águas termais de Lagoa Santa/GO e domingo fiz a prova tranquilo.

Em 2016 fiz 3 concursos estudando de forma crua ainda, pós edital, tentando completar ele.

Em dezembro de 2016, lançou o edital do TRT 24º, com vaga para MS. Foi o momento que resolvi estudar para concursos, na tentativa de conseguir um cargo em Campo Grande, para não precisar sair da minha cidade.

Como 2017 foi o ano dos concursos para o meu estado (só dessa prova do TRT até janeiro de 2018, eu fiz 7 concursos, 6 na área de TI, e teve ainda 1 do CREA que eu não cheguei a fazer), então estava sempre seguindo um edital, com um estudo anterior complementando o novo.

Em 2018 que diminuí o ritmo para descansar a cabeça um pouco, já estava com duas aprovações e aguardando ser convocado, aí veio a mudança de cidade para assumir meu primeiro cargo público. Então no primeiro semestre estudei pouco.

Quando comecei a estudar sem edital, no meio do caminho teve o concurso da PMMS, e fiz para não perder o ritmo de prova em sala.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Gabriel: Assim como mencionei que tenho tudo da minha faculdade no meu computador, com material para concurso não é diferente. 90% do meu estudo é digital. Estudo por vídeoaulas, PDFs, compilados que faço, comentários de questões e praticando questões de concursos.

As vantagens dos conteúdos digitais é que sempre estão com você, aonde você for. Só que precisa ter uma determinação muito forte para você não desviar do estudo e cair nas armadilhas da internet.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Gabriel: Na prova do TRT 24º, que seria no final de março de 2017, comecei a estudar dia 2 de janeiro, na ressaca do reveillon ainda. Foi onde conheci o canal do Estratégia, através das aulas gratuitas, aulas ao vivos, leis esquematizadas, e fiz até Revisão de véspera online.

Em junho de 2017, eu saí da prova da UEMS e o edital da Polícia Civil de MS estava aberto. Passei o domingo pensando se faria a prova: sair da TI e dar de cara com Direito Penal, Processual, Legislação Especial… eu só conhecia Noções de Direito Administrativo e Constitucional.

Foi quando investi no curso da PCMS do Estratégia. Não conclui todo o material porque tinha viagem marcada, uma semana em Arraial do Cabo/RJ, então fiquei longe dos estudos. Precisava de 48 para ser aprovado, fiz 44. Mesmo assim saí muito satisfeito com o resultado da prova e o material que adquiri. E a partir de então, o Estratégia sempre foi a minha base para os estudos.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Gabriel: A minha forma de estudar hoje é 24h/7d, com um Plano de Estudos seguindo a planilha do Edital Estratégico, com revisões diárias dos conteúdos que já terminei de estudar mais revisão do conteúdo estudado no dia anterior e de sete dias atrás. Sempre incluso uma bateria de exercícios para fixar e complementar os estudos. Estudava de duas a três matérias por dia mais as revisões. Por trabalhar apenas 4hrs diárias, estava conseguindo estudar de 5 a 6 horas líquidas diariamente. Hoje com o treinamento para o TAF, reduzi meu plano de estudos e estudo no máximo 3 horas líquidas.

Não faço resumos escritos (algo que deveria aprender a fazer), costumo gravar áudios com o conteúdo essencial das videoaulas + conteúdo exclusivo no PDF, que chamo de Pílulas. Escuto esses áudios no caminho do trabalho, enquanto cozinho, etc. Também gravo um arquivo que chamo de Tips(Dicas), que são os comandos das assertivas corretas e o comentários das questões erradas do PDF, do TEC Concursos, esse arquivo também serve para revisão (uma espécie de dicas, exatamente como as bancas pedem nos seus enunciados).
Nas revisões de matérias que já conclui 100%, vou intercalando: ouço as pílulas + exercícios, leio as Tips + exercícios, lei seca + exercícios, PDF + exercícios.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Gabriel: Na maioria das vezes me encontro num nível que não é médio, nem superior. Brinco que sou intermediário: bom para provas de nível médio, regular para nível superior.

Como sigo uma planilha estratégica, lá tem a porcentagem de acertos em questões, dividido por conteúdo. Com esses dados consigo ver onde estou errando mais e assim realizar um reforço no estudo durante a revisão. 

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Gabriel: No caso da prova do PM, ela foi mais como um teste para ver como eu estava. Na sexta e sábado até tirei folga dos outros estudos que vinha tendo. Mas normalmente planejo os estudos até uma semana antes da prova, para somente revisar o conteúdo durante estes últimos dias, focando no que é mais importante e propenso a cair. Sempre com exercícios. 

Na última semana, eu prezo pela revisão geral dos conteúdos mais propensos a cair, seguindo as dicas do Passo Estratégico, por exemplo. Na véspera, se houver algum aulão online, aproveito. Antes da prova, revisar os macetes de português( “Complemento Nominal x Adjunto adnominal”, Crase, uso dos porquês, etc), e de RLM(estruturas lógicas, proposições, análises combinatórias e por aí vai). Se o estudante consegue pegar como a banca funciona, facilita ainda mais o que estudar na revisão pré-prova.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Gabriel: Procrastinar, com certeza. Se eu fosse menos acomodado também, já teria chegado mais longe.

Os acertos surgem com os erros. Com o tempo passando, fui aprendendo a estudar de forma mais focada, triturando a banca, resolvendo provas anteriores do cargo e provas recentes da banca, seguindo as dicas do Passo Estratégico, o Plano de Estudos que o Estratégia disponibiliza, mantendo as revisões, assinando o TEC concursos (também foi a melhor coisa que fiz este ano).  

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Gabriel: O mais difícil é o sacrifício que tu faz para chegar até aqui. Se afastar um pouco da família, dos amigos, diversões, dos seus outros objetivos de vida, ter que adiar algumas coisas.

Por ter conseguido uma aprovação logo ao sair da faculdade, nunca pensei em desistir de conseguir outra aprovação. Se eu consegui chegar até aqui, consigo ir um pouco mais.

Atualmente, em que moro sozinho e longe da família, tem dias que chego do trabalho e só quero deitar, levantar só para comer, mas consigo juntar uma forcinha para iniciar os estudos, uma matéria mais fácil só para engrenar.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Gabriel: Além da remuneração e estabilidade no serviço, ter o reconhecimento pelo seu esforço é impagável. E com esse esforço poder dar uma vida melhor para mim, minha parceira e minha família. Eu pude identificar que não tinha personalidade para empreender ou conseguir um emprego melhor no ramo privado apenas com a experiência que eu tinha, somado isso ao estágio no MPMS, meu destino era ser servidor público.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Gabriel: Acredita, planeja e corra atrás. Estude sempre, tente não perder nenhum dia, uma hora que for e principalmente: faça concursos/provas de concursos. Com o ritmo, você conseguirá um cargo melhor do que seu emprego atual, pelo menos.

Eu já me visualizei sendo entrevistado pelo Estratégia e hoje estou aqui. Se você busca um cargo específico, vislumbre você nele, tenha ações afirmativas. Analise a banca, busque conteúdo que te auxilie nisso e planeja seus estudos de uma forma que funcione melhor para você. Mesmo que o resultado não venha de imediato, tenha perseverança, pois sua hora vai chegar, mas tem que lutar e não desistir.

Entrevista em vídeo

https://www.youtube.com/watch?v=ZWswMl3sqxg

Bate-papo com aprovados

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso MP-RJ 2018 - Promotor de Justiça Entre os 47 aprovados no concurso 18 são nossos alunos
  • Concurso PRF 2018 - Policial Rodoviário Federal Foram 185 alunos aprovados dentro das 367 vagas da Ampla Concorrência
  • Concurso MP SP (2018) - Analista Jurídico Entre os 2.301 aprovados, 560 são nossos alunos
  • Concurso TJ PR Dos 275 aprovados, 31 são nossos alunos
  • Concurso Banrisul 2018 (Escrituário) Dos 185 aprovados, 46 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.