Entrevista - Aprovado em 1º lugar no concurso BANPARÁ

Entrevista:

ENTREVISTA: Felipe Vieira Corpes – Aprovado em 1º lugar no concurso BANPARÁ no cargo de Técnico Bancário para o Polo I

Não é sorte, não é acaso, não depende de outra pessoa. Também não vai ser nem um pouco fácil, mas mantenha a calma e faça sua parte. Estude. Com dedicação, muita garra e fé, não tenha dúvidas de que sua hora vai chegar. A derrota também pode fazer parte do caminho, mas não pode te abalar. Você tem que perceber o que fez de errado e voltar com o dobro de disposição”

Confira nossa entrevista com Felipe Vieira Corpes, aprovado em 1º lugar no concurso BANPARÁ no cargo de Técnico Bancário para o Polo I:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que as pessoas que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Felipe Vieira Corpes: Olá, meu nome é Felipe Vieira Corpes, sou paraense e tenho 23 anos. Me formei recentemente em engenharia sanitária e ambiental pela Universidade Federal do Pará, mas com a escassa oferta de emprego, vi nos concursos públicos uma excelente oportunidade pra começar a trabalhar.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Felipe: Não trabalhava, eu apenas estudava. Fazia pós graduação e dividia os estudos entre a pós e os concursos. Tempo nunca foi problema pra mim, então dava pra estudar tranquilamente, embora eu focasse muito mais no concurso.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último?

Felipe: Esse foi apenas meu terceiro concurso, estou apenas iniciando nessa caminhada. Não obtive sucesso no primeiro que fiz, na área administrativa. Já no segundo, consegui ser classificado na prova objetiva em sétimo lugar, e agora me saí melhor ainda, sendo aprovado em primeiro no do Banpará. Até agora, considero meu desempenho satisfatório, só venho melhorando,e isso me dá ainda mais motivação pra estudar pros concursos que são verdadeiramente o meu sonho.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Felipe: Nossa, muita felicidade. Melhor sensação mesmo, de ter todo meu esforço recompensado. Ainda mais quando vi que eu era o primeiro da lista. Foi uma alegria imensa, valeu a pena cada minuto de estudo que investi nessa batalha. E olha que foram muitos, não lembro de ter estudado tanto num certo período de tempo quanto estudei nesse. Nesse um mês e meio, eu vivia pra isso e ter essa recompensa maravilhosa foi indescritível, porque sei que tive isso com merecimento. A sensação foi de orgulho de mim mesmo. Muito orgulho.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Felipe: Durante a semana, era radical. Era muito estudo mesmo, pois comecei a estudar a um mês e meio da data da prova, então não tinha muito tempo. Além disso, não tinha nenhum conhecimento da área bancária, era tudo novo pra mim e não tinha outra forma, era estudar bastante mesmo. Mesmo nos fins de semana, eu estava sempre estudando. Saía com os amigos sim, pra espairecer um pouco, mas só quando já tinha estudado o que estava programado pro dia. Foi uma dedicação extrema, com incontáveis horas de estudo.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Felipe: Não sou casado e nem namoro. Também não tenho filhos. Moro com meus pais e eles me apoiaram e entenderam, sim. Passaram a aceitar quando eu deixava de ir a algum evento com eles, quando passava o dia todo trancado no quarto estudando e me deram liberdade pra estudar o quanto fosse necessário. Minha família é extremamente compreensiva e isso é importante pra nós, concurseiros.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho?

Felipe: Como falei antes, esse foi meu terceiro concurso. Mas minha vida até hoje foi basicamente fazer provas, testes, então isso não é um problema pra mim, eu não fico nervoso, o que ajuda bastante. Eu também estava altamente motivado, mesmo que esse não seja o concurso que eu queira para sempre. Já estou estudando pra outros, inclusive. Meu sonho maior é a área fiscal, que pretendo seguir em alguns anos.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Felipe: Olha, pra mim não foi exatamente uma opção, já que eu precisava de um emprego, então fiz esse concurso, mesmo não sendo a área que eu queira ficar pro resto da vida. Mas agora, com emprego estável, vou poder me dedicar integralmente pros concursos que quero de verdade. Antes do Banpará, eu vinha estudando pro do ministério público, que pode sair esse ano ainda. Então eu desviei o foco pra estudar pro Banpará. Acredito que se já tivesse um emprego, eu não faria isso. É muito melhor manter o foco apenas em uma área, no concurso que você realmente quer. Se fizer isso, suas chances de aprovação são bem maiores.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Felipe: Estudei por pouco tempo, já com o edital na praça, por cerca de um mês e meio. Não recomendo isso, porque tive que estudar intensamente pra  “recuperar” o conhecimento que teria se estivesse estudando antes do edital sair. Por mais que o concurso nem esteja previsto, a administração pública sempre vai ter que renovar seu quadro de funcionários, então a gente deve estudar muito antes, não dá pra esperar o edital sair, porque a concorrência e o nível  de qualidade  dos candidatos só vão aumentar. É claro que não é fácil manter a motivação e disciplina sem edital e mesmo sem a previsão do concurso, mas é necessário estudar sempre. Acredito que os coaches que estão aí são uma ferramenta muito útil pra manter essa disciplina nos estudos.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Felipe: Não fiz nenhum curso presencial, foi totalmente à distância, através de videoaulas e dos PDFs, que eu sempre imprimo, pois acho melhor assim. Não utilizei o material de apenas um lugar, fui atrás de vários e encontrei muito material disponível. Nossa, nem imagino como faziam antes da internet, porque ali tem tudo. Encontrei muita coisa boa,  e o Estratégia me ajudou imensamente. Sou aluno de vocês há quase um ano e aproveitei muito o material que vocês disponibilizam pra quem é aluno, e também gratuitamente. O aulão de véspera cobriu muita coisa, me ajudou muito mesmo. A vantagem do curso à distância é a praticidade. As aulas estão sempre ali, disponíveis pra consumir a hora e quantas vezes quiser e sem sair de casa, fazendo seu próprio horário. Pra mim, essa forma é praticamente perfeita. Funciona muito.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Felipe: Através de um primo meu, que foi aluno de vocês e foi aprovado pra Secretaria da Fazenda aqui do Pará, cargo extremamente concorrido e difícil de conseguir a aprovação, porque são muitas disciplinas. Ele me indicou o Estratégia como sendo um dos melhores do país e eu rapidamente vi o por quê. Professores excelentes, os melhores, material completo e muito didático, com linguagem acessível mesmo pra quem é leigo no assunto. Também gostaria de agradecer as aulas grátis que sempre ofertam, isso é uma mão na roda. Não pretendo desfazer essa parceria com vocês. Não mesmo. Sou grato por tudo.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Felipe: Esse concurso não tinha tantos assuntos assim, então pude esgotar todas as disciplinas, estudei tudo. Foquei no específico, mas só ele não garante a aprovação. Estudava as matérias concomitantemente. Pra mim, os resumos são essenciais. Tenho um caderno quase cheio deles, pois ajudam bastante, fico sempre lendo e revisando. Exercícios também são outra chave, pois é aí que você testa todo o conhecimento e sempre revisa ou aprende algo fazendo questões. Resumo, revisão e exercícios. Essa é a fórmula, ao meu ver.

 Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Felipe: Embora eu leia bastante e não tenha dificuldade alguma pra escrever, língua portuguesa não é minha praia rsrs. Meu conhecimento em informática também é superficial. Você tem que identificar os pontos fracos e trabalhar em dobro em cima deles. Não adianta ficar reclamando, é preciso agir e superar essas dificuldades. E foi o que eu fiz. Estudei demais essas duas disciplinas, pois não queria comprometer meu desempenho por causa dessas antipatias. E acredito que essa é a escolha acertada.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Felipe: O ideal é que nas semanas que antecedem a prova, você faça apenas revisão e exercícios. Estudar matéria nova não dá, isso tem que ser feito antes. Os últimos dias realmente têm que ser reservados para revisão. Re-leitura dos resumos, revisão das videoaulas, exercícios.. Eu estudei muito a parte específica, então na semana final nem focava tanto nela, pois já tinha o domínio. Então creio que uma boa dica seja essa, ter o domínio da matéria pra na reta final ir apenas revisando e fazendo exercícios.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desacelerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Felipe: Acho que isso varia de pessoa para pessoa. Umas fazem parte do primeiro grupo, outras, do segundo. Eu pertenço ao primeiro. A véspera da prova, foi o dia que mais estudei, reli tudo. Deixo pra descansar e desacelerar apenas depois que entrego o cartão-resposta rsrs. Funciona para mim, mas talvez não funcione para todos. Você tem que se auto avaliar e perceber o que é melhor pra sua mente.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Felipe: Meu maior erro foi começar a estudar muito em cima da data da prova. Consegui recompensar isso com um trabalho muito árduo, intenso, mas isso é perigoso porque nem todas as pessoas têm o tempo disponível que eu tive. Então o ideal é que a preparação comece antes do edital ser lançado. Meu acerto foi a disciplina que tive durante esse tempo. Eu não pensava em outra coisa a não ser estudar, dei um tempo das redes sociais e também de qualquer distração que me prendesse. Também foi um enorme acerto quando decidi investir num curso totalmente direcionado pras matérias da prova. Não dá pra perder tempo indo atrás de material espalhado por aí, um curso completo e com todas as matérias já ali prontas apenas para serem lidas, é a melhor opção que você pode fazer. Não se deve ter medo de investir nos estudos. Muito pelo contrário.

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Felipe: No mundo de hoje, com centenas de opções de entretenimento, as pessoas acabam perdendo muito tempo com coisas que não considero importantes. É preciso ter foco e constância nos estudos, pois é através dele que as coisas vão pra frente. O conhecimento talvez seja a melhor coisa de todas, não dá pra encarar a busca por ele como algo maçante, que provoca medo e deva ser evitado a todo custo. Não mesmo. É preciso estudar muito, se dedicar de verdade e deixar o entretenimento apenas para descansar a mente. Se fizer isso, as chances de conseguir ter sucesso não somente nos concursos, mas também  na vida, são quase certas.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Felipe: O começo é sempre mais difícil. Como dito anteriormente, essa era uma área totalmente nova pra mim, eu não tinha conhecimento de nada da área bancária. No começo, você chega a ter certeza de que nunca vai conseguir, e é nesse momento que não se pode desistir. É sofrido, mas então, com o tempo, percebemos que não é esse bicho de sete cabeças, que estudando cada vez mais um pouco, a gente consegue assimilar as coisas. Tem que manter a calma sempre.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Felipe: Acredito que todos já devem estar cansados do velho “nunca desista”, mas é essa a verdade. Não é sorte, não é acaso, não depende de outra pessoa. Também não vai ser nem um pouco fácil, mas mantenha a calma e faça sua parte. Estude. Com dedicação, muita garra e fé, não tenha dúvidas de que sua hora vai chegar. A derrota também pode fazer parte do caminho, mas não pode te abalar. Você tem que perceber o que fez de errado e voltar com o dobro de disposição. Foi isso que eu fiz quando não fui aprovado num certo concurso da área administrativa. Em vez de ficar com pena de mim mesmo, decidi estudar com força total e agora estou aqui dando essa entrevista como primeiro colocado em um concurso que tiveram 28 mil inscritos para 23 vagas. As escolhas são só suas. Tenha fé!

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso PC-SP 2018 - Delegado Das 250 vagas ofertadas, 70 aprovados são nossos alunos
  • Concurso PC-SP 2018 - Auxiliar de Papiloscopista Dos 100 primeiros aprovados, 35 são nossos alunos
  • Concurso PC-SP 2018 - Agente Policial Dos 100 primeiros aprovados, 33 são nossos alunos
  • Concurso PC-SP 2018 - Papiloscopista Dos 100 primeiros aprovados, 38 são nossos alunos
  • Concurso PC-SP 2018 - Agente de Telecomunicações Dos 100 primeiros aprovados, 44 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.