Entrevista: Eduardo Marinho - aprovado em 1º lugar no concurso da ALE RR para o cargo de procurador

Entrevista:

Entrevista: Eduardo Marinho – aprovado em 1º lugar no concurso da ALE RR para o cargo de procurador

“Todos começaram sua trajetória sem saber absolutamente nada. Todos, até mesmo o mais sábio dos magistrados, começou seus estudos um dia sem saber o que era uma Constituição. Portanto, quando você achar que não é suficiente, quando você achar que nunca vai conseguir, quando você achar que não é inteligente o suficiente, pegue a próxima matéria e continue!”

Confira nossa entrevista com Eduardo Marinho, aprovado no concurso da Assembleia Legislativa de Roraima, em 1º lugar, no cargo de Procurador:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Qual sua idade? De onde você é?

Eduardo Marinho: Eu tenho 30 anos, sou natural de Campina Grande/PB, mas moro em Boa Vista/RR há 11 anos.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos? Por que Procuradoria? O que te atraiu nessa carreira?

Eduardo: Sou policial militar há onze anos, e após me graduar em Direito decidi investir meus estudos em concursos públicos para cargos melhores, buscando a tranquilidade que não possuo como policial, uma carreira estável e uma melhor remuneração. Após iniciar meus estudos, que inicialmente fora voltado para tribunais, me identifiquei muito com a área de Procuradoria, tanto pelas matérias cobradas nas provas, quanto pela carreira.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro, você trabalhava e estudava, como conciliava trabalho e estudos?

Eduardo: Infelizmente nunca pude me dedicar exclusivamente aos estudos. Como policial militar, eu presto meus serviços normalmente, com escalas de 24h de trabalho, e nas minhas horas de folga me dedico aos meus estudos.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Eduardo: Fui aprovado no concurso da PM/RR em 2008. Mais recentemente, em 2018, fui aprovado em 3º Lugar no certame do TRF da 1ª Região para o cargo de Oficial de Justiça Avaliador Federal.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Eduardo: Foi uma sensação de dever cumprido, de alívio, pois só quem se dedica arduamente a conquistar algo sabe o quão duro pode ser alcançar a vitória. Foram muitas noites sem dormir, muita abdicação e muita frustração, que se anularam no momento em que vi o resultado final do certame.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Eduardo: Minha postura sempre foi bastante radical quanto à vida social durante a preparação para concursos, principalmente quando o edital está aberto.

Todavia, para o concurso da ALE/RR, me permiti sair com amigos e família para jantar de tempos em tempos, o que me ajudou muito a desopilar nos dias mais difíceis.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Eduardo: Sou casado e minha esposa está grávida do nosso primeiro filho. Ela sempre me apoiou desde o início, me fazendo acreditar em mim mesmo quando nem eu mesmo mais acreditava. Quando eu pensava em desistir ela me lembrava da minha capacidade e me dava a força que eu precisava.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? (Se esse ainda não é o concurso dos seus sonhos, se possível, citar qual é se pretende continuar se preparando para alcançar esse objetivo)

Eduardo: Meu foco continua sendo em concursos de procuradoria, portanto, mesmo com o resultado da ALE/RR, não parei de estudar. Só vou parar meus estudos quando estiver completamente satisfeito com o meu cargo.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Eduardo: Como eu já estava estudando para concurso de Procuradoria de uma maneira ampla, ao sair o edital da ALE/RR eu apenas direcionei meus estudos para o referido edital.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Eduardo: Sempre estudei para concursos sem edital aberto. Para manter a disciplina nos estudos, vou para uma cabine de estudos da minha cidade, pois lá obtenho mais concentração e não tenho nenhum tipo de distração. O local adequado para meus estudos me ajuda muito a ter o máximo rendimento. De lá só saio quando atinjo minhas metas diárias, sem pensar em um edital específico, e sim nas minhas metas a médio e longo prazo.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Eduardo: Nunca fiz cursos presenciais. Inicialmente, antes mesmo de me tornar bacharel, utilizei bastante videoaulas, principalmente para aprofundar meus conhecimentos em matérias que eu possuía dificuldade. Todavia, com o tempo eu comecei a sentir que com as videoaulas meu rendimento estava baixando, pois muitas vezes eu acabava perdendo tempo assistindo aulas de assuntos que eu já possuía conhecimento.

Logo passei a estudar exclusivamente com cursos em PDF, resolução de questões, lei seca e livros de doutrina, por serem mais objetivos e me darem a liberdade de direcionar meus estudos especificamente ao assunto ao qual quero me dedicar naquele momento. Porém, para estudos apenas com material escrito e resoluções de questões, é necessário ter muito mais disciplina que para com o estudo por videoaulas, haja vista que a chance de dispersar a concentração é muito maior.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Eduardo: Conforme fui aprofundando meus estudos, comecei a buscar um curso com o qual eu me identificasse e que se adaptasse bem ao meu método de estudos. Testei alguns, mas quando amigos me indicaram o Estratégia e o testei pela primeira vez, nunca mais utilizei outro curso. Me adapto bem ao método e os PDFs são perfeitos para a maneira como administro meus estudos.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todos que estudam para concurso público é a quantidade de assuntos para memorizar. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Eduardo: Sempre tive muita facilidade para memorização, por isso me adapto melhor ao estudo com PDFs, lei seca e resolução de exercício. Eu estudo de duas a três matérias por dia; anoto pouquíssimas coisas, fazendo raros resumos; foco meus estudos mais em resolução de exercícios, resolvendo questões até a exaustão, e após resolver questões leio os PDFs e a lei seca; costumo estudar em torno de 6 a 7 horas por dia.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Eduardo: Para a primeira fase do certame eu estava bem tranquilo, apenas revisando a matéria e resolvendo questões, apenas aumentando a quantidade de horas estudadas por dia. O dia anterior à prova foi de revisão e estudos (sempre estudo na véspera de prova; se puder, estudo até mesmo no dia da prova).

Já na segunda fase, com a pressão de continuar sendo o 1º colocado do certame e pelo fato da banca não especificar as matérias que seriam cobradas, eu fiquei bastante nervoso, o que prejudicou meus estudos na última semana de prova, haja vista que eu já estava bastante cansado. No dia que antecedeu a prova, ainda tentei revisar meu material, mas minha mente não conseguiu absorver nada e decidi relaxar. Deu certo.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Eduardo: Para a prova discursiva me preparei lendo informativos, peças e pareceres, treinando a confecção das principais peças que poderiam ser cobradas e lendo a lei seca. Como não especificaram as matérias que seriam cobradas, tentei ao máximo ver as principais peças e possíveis temas que poderiam ser propostos pela banca.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Eduardo: Não acredito que houve algum erro na minha preparação ao ponto de ser lembrado e citado agora, mas acredito que meus acertos foram focar bastante na lei seca, direcionar meus estudos para as minhas maiores dificuldades e me aperfeiçoar nas matérias que sei que a maioria dos meus concorrentes têm dificuldades. O local adequado de estudos também me ajudou muito, pois através dele eu alcancei a excelência de uma maneira que não conseguiria em casa.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Eduardo: O concurseiro que disser que nunca pensou em desistir está mentindo. É muito frustrante você abdicar de momentos com sua família e amigos, não poder sair e se divertir com sua esposa. É cansativo e desgastante estudar uma matéria da qual você não se identifica e não gosta, e dar seu máximo para entender algum assunto que por algum motivo não entra na sua cabeça de jeito nenhum.

Porém, pensar num emprego melhor, numa melhor condição financeira para minha família e no alcance da minha realização pessoal sempre me fizeram seguir em frente.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Eduardo: Minha principal motivação é o meu filho que está chegando. Sempre que pensei em jogar tudo pro alto pensei nele e na minha esposa, pensei na qualidade de vida que poderia proporcionar a eles.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Eduardo: Todos começaram sua trajetória sem saber absolutamente nada. Todos, até mesmo o mais sábio dos magistrados, começou seus estudos um dia sem saber o que era uma Constituição. Portanto, quando você achar que não é suficiente, quando você achar que nunca vai conseguir, quando você achar que não é inteligente o suficiente, pegue a próxima matéria e continue!

Quando você achar que está cansado, quando você achar que não dá pra trabalhar e estudar ao mesmo tempo, quando você achar que não tem mais idade pra isso, continue! Todos têm o seu próprio tempo, todos têm a possibilidade de alcançar suas metas, basta ter força de vontade!

Se achar que está cansado, acorde mais cedo, tome um café forte, e comece seus estudos! Não dê a atenção que o seu cansaço pede. Seja mais forte que a sua maior desculpa! Lembre aonde você quer chegar e porque você quer chegar até lá! VAI VALER A PENA!

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso MP-RJ 2018 - Promotor de Justiça Entre os 47 aprovados no concurso 18 são nossos alunos
  • Concurso PRF 2018 - Policial Rodoviário Federal Foram 185 alunos aprovados dentro das 367 vagas da Ampla Concorrência
  • Concurso MP SP (2018) - Analista Jurídico Entre os 2.301 aprovados, 560 são nossos alunos
  • Concurso TJ PR Dos 275 aprovados, 31 são nossos alunos
  • Concurso Banrisul 2018 (Escrituário) Dos 185 aprovados, 46 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.