ENTREVISTA: Dhonney Monteiro - Aprovado em 15º lugar no concurso FUB para o cargo de Assistente em Administração

Entrevista:

ENTREVISTA: Dhonney Monteiro – Aprovado em 15º lugar no concurso FUB para o cargo de Assistente em Administração

“Vão haver milhares de dificuldades que irão barrar a sua vida de concurseiro, mas você precisa ser FORTE, ser RESILIENTE e acreditar que a sua hora vai chegar. Sempre pense nisso, que você vai poder escrever sua história de vida, assim como escrevo agora a minha e com bastante emoção. Não desista, a vitória vem para aqueles que PERSISTEM”

Confira nossa entrevista com Dhonney Monteiro, aprovado em 15º lugar no concurso da Fundação Universidade de Brasília (FUB) para o cargo de Assistente em Administração:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formado em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Dhonney Monteiro: Olá, meu nome é Dhonney Monteiro (sim, é um nome estranho, eu sei rsrs), tenho 22 anos, sou de uma cidade do interior do Ceará, conhecida como Limoeiro do Norte. Tranquei no 4º semestre a faculdade de Nutrição no Instituto Federal do Ceará, pois queria me dedicar exclusivamente para concursos. Atualmente só possuo o Ensino médio.

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Dhonney: Bom, iniciei essa maratona de estudar para concursos assim que vim embora de uma cidade próxima, onde eu fazia o curso de Biotecnologia na Federal Rural do Rio Grande do Norte (visto que meus pais não tinham condições de me sustentar naquela cidade e eu praticamente não conseguia me manter financeiramente). Então, tive que retornar para a casa da minha mãe e, graças a Deus, meus primos Douglas Polyano e Tatiana Gomes me incentivaram a estudar para concursos devido a diversas alternativas e possibilidades do Serviço Público.

Iniciei estudando para o INSS, em agosto de 2015. Fiz 92 líquidos na banca Cespe, porém não consegui nem ficar no cadastro de reserva. Foi uma tristeza grande.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseiro(a), você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Dhonney:  A maior parte dessa preparação foi apenas estudando. De 2015 a 2016, conciliava com o curso de Nutrição, o qual era Integral e bastante pesado. Rendia mais ou menos umas 6 horas líquidas especificamente para concursos, sem contar os estudos da graduação, os quais eram muitos.

Em 2017, passei no concurso do IBGE de temporário para ser Agente Censitário Supervisor, o qual fiquei durante 8 meses e optei por trancar a faculdade e me dedicar a este trabalho e aos estudos para concursos. Foi um período bastante difícil, pois estudava 8 horas por dia, então tive que começar a estudar antes de ir ao trabalho. Acordava as 4:50 da manhã e tentava estudar umas 2 horas antes de trabalhar, só tinha uma hora de almoço, pegava uns 30 a 40 minutos dentro dessa intervalo para resolver questões. Era bastante pesado.

Além disso, chegava às 17 horas, descansava um pouco e ia até as 22 por ai.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovado? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Dhonney:  Bem, fui aprovado na Polícia Militar do Ceará aos 19 anos, mas não quis tomar posse. Não era especificamente o que eu queria, então não assumi.

Também fui aprovado na Prefeitura de Limoeiro do Norte-CE, dentro das vagas, aos 20 anos, porém ainda não chamaram ninguém. Além desses, teve o do IBGE para Agente Censitário Supervisor, como falei, o qual foi ali que tive certeza que eu queria o Serviço Público, área Administrativa/Tribunais. Conviver com Efetivos era uma emoção sem igual. E, por último, passei na Universidade de Brasília (FUB), em 15º de 90 vagas pelo resultado preliminar (pré-recursos da Prova Discursiva, a qual fiz 37,66 dos 40 pontos). Quase fechei a Redação, eu ainda estou sem acreditar!

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Dhonney:  Sinceramente?! Eu não acreditei! estava na biblioteca estudando, fiquei sem reação e olhando a nota muitas vezes para ver se era verdade. Não esperava uma nota tão boa, pelo nível de dificuldade da prova.

Não consegui fazer mais nada. Ficava me perguntando se aquilo era verdade! Só caiu a ficha quando eu recebi muitas ligações e elogios de familiares e amigos. Passa toda uma história na sua cabeça, o quanto foi difícil e árdua essa jornada.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Dhonney: No período pré-edital, eu colocava uma meta de sair apenas 1 ou 2 vezes no mês para ver amigos e curtir um pouco à noite com eles. Porém, no pós-edital e pouco antes disso, tentei evitar ao máximo as saídas aos finais de semana, visto que no dia seguinte me atrapalhava muito para estudar.

Foi uma postura mais radical, me afastei de muita gente por isso. Mas foi até bom, para ver quem são meus amigos de verdade.

Estratégia: Você é casado? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseiro? Se sim, de que forma?

Dhonney: Sou solteiro, não tenho filhos, moro com minha mãe, irmã e padrasto. No começo, só quem mais me apoiou foi minha mãe. Sempre estava do meu lado, em qualquer decisão que eu tomasse, seja evitando fazer barulhos em casa, seja me reconfortando com uma comida que eu gosto depois de um simulado que eu ia mal. Ela realmente foi meu alicerce.

Alguns familiares, porém, não entendiam. Achavam que eu vivia dentro do quarto dormindo, sem trabalhar, nem nada. Achavam que eu não queria nada da vida. Entretanto, essa visão mudou após eu ser aprovado em alguns concursos.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Dhonney: Não recomendo fazer concursos com foco diferente, pois as provas estão cada dia mais difíceis e específicas. Já é difícil focar em uma área, imagine em outras diferentes do seu ramo?! É um tiro no escuro, ao meu ver. Foquei na área Administrativa e, graças a Deus, não me arrependi.

Não pararei por aqui, continuarei estudando para concursos nessa área com melhores remunerações e qualidade de vida. Não tenho um “cargo dos sonhos”, porém quero muito estar em um órgão que valorize os seus servidores.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovado?

Dhonney: Especificamente para a FUB, estudei somente no pós-edital, mais ou menos 2 meses. Todavia já tinha uma larga bagagem, como por exemplo a preparação para o MPU, o qual não obtive êxito.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Dhonney: Sim, sim! A maioria dos meus estudos foram sem edital lançados. É bem mais complicado para manter o foco, pois você acha que vai ter tempo para aprender. Mas não se engane! As matérias são extensas.

O que me mantinha disciplinado, era as fotos das viagens de servidores nas redes sociais, os textos motivadores deles. Era como um balde de água fria, para continuar estudando!

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Dhonney: Nunca estudei com aulas presenciais. Por ser do interior, não tive essa oportunidade. Estudava, basicamente, pelo excelentes PDFs do Estratégia e algumas vídeoaulas das matérias que eu tinha dificuldade ou de matérias novas no meu ciclo de estudos.

A vantagem dos PDFs é que você otimiza o seu tempo, desde que seja uma matéria conhecida ou não tão complicada. Porém se for uma nova, já dificulta no aprendizado, pelo menos pra mim. Já em relação às videoaulas, é ótimo no início de novas disciplinas, mas só para pegar uma base da matéria, pois perde-se muito tempo vendo os vídeos.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Dhonney: Conheci por alguns amigos e concurseiros, que sempre falavam bem da abrangência de conteúdos dentro dos PDFs e a maneira como eram repassados, com imagens ou mnemônicos, o qual facilitava bastante as nossas vidas.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Dhonney: No início da preparação, estudava por cronograma, 2 matérias por dia, com bastantes anotações e alguns resumos, o qual pouco explorava após feito.

Já no meio da jornada, mudei  para o ciclo de estudos. Em 2 ou 3 dias colocava todas as matérias do edital, estudando mais ou menos 4 a 5 disciplinas por dia. Assim, revia com frequência todas as matérias (e isso graças à ajuda do meu grande amigo Eliel Madero, aprovado em 2º lugar no TRT do Ceará).

Resolvia muuuitos exercícios em um site específico de questões, além de todo dia ler a lei seca, pelo menos meia hora dela. No total, dava mais ou menos 7 horas líquidas por dia, uma média, pois variava um pouco.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Dhonney: Tive bastante dificuldade com Administração Financeira e Orçamentária, a tão temida matéria por muitos concurseiros. Então, para driblar isso, tive que colocá-la quase todos os dias para estudá-la durante a semana, auxiliado com várias questões e anotações para fixar o conteúdo. Ainda tenho dificuldade com ela, porém estou melhorando aos poucos. A questão é NÃO DESISTIR, um dia você a vencerá.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Dhonney: Foi bastante conturbada, visto que a prova era em Brasília e eu moro no interior do Ceará. Tive que ir para a capital na quarta, para pegar o voo na quinta e me acomodar nos meus tios quando chegasse. Praticamente estudei mais pelos meus resumos e algumas questões dos grupos de estudos no Whatsapp.

Pré-prova estudei muito pouco, pois estava bastante ansioso, o qual dificultava a minha concentração nos estudos. Aproveitei para descansar e entreguei nas mãos de Deus e foi feita a Tua vontade.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Dhonney: Bom, essa foi realmente a minha preocupação, pois nunca tinha feito concurso com prova discursiva. Eu via que demorava bastante para redigir a redação, então tive que intensificar para poder ir bem nessa matéria. Elaborava de segunda a sexta, todos os dias da semana, uma redação e também cronometrava o tempo para eu ir analisando a minha evolução.

Aconselho muito a redigir muitas redações pré-prova, além de cronometrar e ir verificando o que você pode melhorar. E, graças a Deus, deu certo! Fui muito bem na Discursiva, fiz 37,66 dos 40 pontos máximos da redação.

Foi uma surpresa, não esperava tanto. Eu sabia que tinha ido bem, pois abordei os tópicos da folha padrão, mas não sabia que tinha ido tão bem. Foi uma vitória.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Dhonney: Tive vários erros durante minha preparação, mas isso é questão de aprendizado. Aos poucos você vai melhorando, como não fazer anotações, não fazer resumos, não ser disciplinado com horários, não ter um controle sobre o que estudar para poder auxiliar na revisão…

Já os acertos foram resolver muitas questões, anotando as que errei e revendo estas. Além de manter o foco durante a preparação e não ter desistido.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Dhonney: O mais difícil, para mim, foi deixar o lazer com amigos e família. Antes de estudar para concursos, gostava muito de sair e conversar com a galera. Foi muito difícil abdicar isso, porém necessário.

Por muitas vezes cheguei a pensar que não passaria, que não era capaz. via amigos concurseiros passando e ficava perguntando a Deus quando chegaria a minha vez. Graças a Ele, não desisti e persisti! Pedia muito para me manter com forças e disciplinado para enfrentar esse processo, que foi bem complicado.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Dhonney: A principal era sonhar em viajar e conhecer alguns lugares do Brasil. Além de pensar na estabilidade que o Serviço Público proporciona, sem se preocupar tanto com o desemprego que acomete a iniciativa privada.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Dhonney: Primeiro quero dizer que não é fácil. Nem no começo, nem no meio, não é fácil. Vão haver milhares de dificuldades que irão barrar a sua vida de concurseiro, mas você precisa ser FORTE, ser RESILIENTE e acreditar que a sua hora vai chegar. Sempre pense nisso, que você vai poder escrever sua história de vida, assim como escrevo agora a minha e com bastante emoção. Não desista, a vitória vem para aqueles que PERSISTEM. Bons estudos.

Confira outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Foi aprovado e deseja dividir com a gente e com outros concurseiros como foi sua trajetória até a aprovação?! Mande um e-mail para: [email protected]

Abraços,

Thaís Mendes

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Administração Tributaria Dos 591 aprovados, 475 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Técnologia da Informação Dos 68 aprovados, 52 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / AUDITOR FISCAL Dos 303 aprovados, 253 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x