ENTREVISTA: Anaita de Melo Fernandes - Aprovada no concurso TRT SP no cargo de Analista Judiciário Área Judiciário (AJAJ)

Entrevista:

ENTREVISTA: Anaita de Melo Fernandes – Aprovada no concurso TRT SP no cargo de Analista Judiciário Área Judiciário (AJAJ)

“As derrotas e as expectativas não alcançadas não foram o mais difícil de superar, mas os comentários mesquinhos e maldosos que me cercavam e que vinham de várias pessoas, inclusive de algumas muito próximas. Num primeiro momento, a raiva me tomou conta e o choro era interminável, mas aos poucos meus pais e meu irmão me fizeram perceber que eu tinha que me preocupar apenas com quem me amava e torcia por mim”

Confira nossa entrevista com Anaita de Melo Fernandes, aprovada no concurso do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, em 22º lugar,  no cargo de Analista Judiciário Área Judiciária (AJAJ):

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nossos leitores possam te conhecer melhor. Você é formada em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Anaita de Melo Fernandes: Meu nome é Anaita de Melo Fernandes, sou natural de Maceió/Alagoas e formada em Direito pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Sou solteira e moro com meus pais (Manoel e Vania) e meu irmão (Leonardo).

Estratégia: O que te levou a tomar a decisão de começar a estudar para concursos?

Anaita: Durante a minha vida acadêmica, tive a oportunidade de estagiar em um escritório de advocacia, embora a experiência tenha sido gratificante e importante para o meu desenvolvimento profissional, percebi que o meu perfil não era compatível com a advocacia. Portanto, optei pelo árduo caminho dos concursos federais.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseira, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos para concurso?

Anaita: Devido aos pais maravilhosos e parceiros que tenho, fui uma privilegiada e consegui me dedicar exclusivamente aos estudos.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovada? Qual o último? Em qual cargo e em que colocação?

Anaita: Na minha trajetória, consegui algumas aprovações: INSS, TST (AJAJ), TRT 24ª (Oficial de Justiça – 4º lugar) e por fim, TRT 2ª (AJAJ – 22º de 39 vagas ofertadas à ampla concorrência).

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Anaita: As primeiras sensações que senti ao tomar conhecimento do resultado do TRT de São Paulo foram de alívio e dever cumprido. Carregava um peso enorme e saber que fui capaz de encarar um desafio desse tamanho, concorrência gigantesca e no maior TRT do país, fizeram com que eu percebesse que qualquer sonho é alcançável.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social?

Anaita: A minha vida de concurseira era totalmente programada. Abdiquei de tudo e todos. Não havia, no meu calendário, espaço para aniversários, feriados ou quaisquer outras saídas. Tinha um propósito em minha vida e sabia que ele só seria alcançado através da renúncia da minha vida familiar e social. Era uma fase da minha vida e que em algum momento se encerraria.

Estratégia: Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseira? Se sim, de que forma?

Anaita: Os grandes responsáveis pela minha vitória são meus pais e meu irmão. Sempre me apoiaram e incentivaram meus sonhos. Nos momentos de frustrações e dúvidas, eles me convenceram de que eu era capaz.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior? 

Anaita: O mundo dos concursos é diversificado e complexo. O conteúdo programático varia bastante, a depender de qual área o estudante queira se dedicar. Em razão disso, sempre foquei nos TRT’s,já que a variação de matérias é muito pequena entre os editais. Em minha opinião, prestar qualquer concurso que apareça não é benéfico, pois a preparação para a aprovação exige muita antecedência e dedicação às matérias exigidas e com a multiplicidade de disciplinas que podem ser cobradas, o estudante pode, ao final, não se aprofundar nos temas abordados numa eventual prova.

Estratégia: Você estudou por quanto tempo direcionado ao concurso que foi aprovada?

Anaita: Os meus estudos focados em TRT’s têm ao todo 03 anos e alguns meses. A cada prova que fazia e resultado que recebia, eu tentava corrigir os erros cometidos e aprofundar temas bastante cobrados.

Estratégia: Chegou a estudar sem ter edital na praça? Durante esse tempo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos?

Anaita: A minha rotina diária existia independentemente de publicação de edital; o que importava para mim era cumprir a minha planilha semanal. O meu estímulo em manter foco vinha ao final de cada semana, quando percebia que todo o cronograma de estudo tinha sido cumprido.

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um? Como conheceu o Estratégia Concursos?

Anaita: No início da minha trajetória, optei em fazer um cursinho presencial, porém após um ano percebi que a rotina era igual, sem novidades que pudessem estimular o aluno, e maçante. Então, quando me senti segura o suficiente, saí do cursinho, comprei livros de referência para TRT’s, fiz cadastro num site de questões para concursos e comecei a pesquisar bons cursinhos à distância que tivesse uma dinâmica diferente para transmissão de conhecimento. Foi assim que conheci o Estratégia e passei a comprar pacotes de conteúdos necessários na minha preparação.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e releitura da teoria? Como montou seu plano de estudos? Quantas horas por dia costumava estudar?

Anaita: O conteúdo programático para TRT é bastante extenso. Em razão disso, aos domingos elaborava uma planilha que deveria ser cumprida de segunda a sábado. De segunda a sexta, estudava conteúdo/doutrina/leis pela manhã (08 às 12) e à tarde (14 às 18). À noite (20 às 22) resolução de questões. Isso totalizava 10 horas líquidas de estudo por dia. Aos sábados, eu preferia estudar uma matéria que sentisse facilidade, por exemplo: português, direito do trabalho, processo do trabalho e direito civil. Os domingos eu reservava para recuperar as energias, descansar um pouco. Nas divisões das matérias no decorrer da semana, eu levava em consideração a complexidade e a minha dificuldade em compreender. Assim, se eu tivesse que estudar matemática ou informática, o dia inteiro seria reservado a essas matérias. Por outro lado, em relação a matérias de minha área, eu dividia os dois períodos do dia (matutino e vespertino) para duas matérias distintas. Ao fazer exercícios à noite, eu evitava questões da matéria que tinha acabado de estudar, pois tudo estava “fresco” em minha memória e consequentemente o percentual de acerto seria grande. Eu resolvia questões de temas que tinha estudado na semana anterior, pois somente assim eu teria a certeza de que estudei corretamente a matéria. Quando concluí a maioria do conteúdo programático exigido nos TRT’s, passei a priorizar revisões, anotações e muitas resoluções de questões da FCC!!!

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Anaita: As matérias que eu tinha mais dificuldade eram matemática e informática. Por isso, comprei pacotes de teoria e questões do Estratégia. Percebi que só o treino à exaustão me faria superar os obstáculos. A dedicação foi tanta, que passei a acertar todas as questões de matemática e raciocínio lógico das provas que fazia!!!! 

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como foi sua rotina de estudos na semana que antecedeu a prova? E véspera de prova: foi dia de descanso ou dia de estudo?

Anaita: Na semana que antecedeu a prova, priorizei revisões e questões. No dia anterior ao exame, busquei me tranquilizar, concentrar ao máximo no que faria na prova e tentei entender que o que era necessário para passar dentro das vagas eu tinha feito.

Estratégia: No seu concurso, tivemos, além das provas objetivas, as provas discursivas. Como foi seu estudo para esta importante parte do certame? O que você aconselha?

Anaita: Na prova do TRT de SP era exigida a elaboração de uma redação. Sendo assim, eu e meus pais decidimos por contratar uma professora que pudesse me orientar na escrita. Como a aula era individual, a professora conseguiu diagnosticar os meus erros e acertos com maior precisão. Todos os dias, eu elaborava uma redação com base em temas de outras provas realizadas pela FCC.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Anaita: O meu maior acerto foi também o meu maior erro: foquei tanto em alcançar o meu sonho que esqueci que a vida não se resume ao lado profissional. Eu simplesmente ignorei o meu corpo e desenvolvi dores corriqueiras nas minhas costas e tive problemas dermatológicos. Dormia muito pouco (insônia). Por outro lado, a persistência, a perseverança, a vontade de vencer e a fé são características que hoje me definem como ser humano.

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? Chegou a pensar, por algum momento, em desistir? Se sim, como fez para seguir em frente?

Anaita: As derrotas e as expectativas não alcançadas não foram o mais difícil de superar, mas os comentários mesquinhos e maldosos que me cercavam e que vinham de várias pessoas, inclusive de algumas muito próximas. Num primeiro momento, a raiva me tomou conta e o choro era interminável, mas aos poucos meus pais e meu irmão me fizeram perceber que eu tinha que me preocupar apenas com quem me amava e torcia por mim. Hoje aprendi a simplesmente ignorar esse tipo de comentário e vi que a minha família estava certa.

Estratégia: Qual foi sua principal motivação?

Anaita: A minha principal motivação em continuar estudando não foi a estabilidade financeira (para mim isso sempre foi consequência), mas sim a oportunidade de proporcionar aos meus pais a alegria e orgulho de me terem como filha. A certeza de que a filha deles venceu de maneira honesta e honrosa. Eles sempre falaram que a maior herança que podiam deixar era a educação e que com ela eu poderia alcançar qualquer objetivo.

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Anaita: Para quem está iniciando os estudos ou quem ainda não conseguiu seu sonho (mas certamente irá, caso persista), eu sugiro manter o foco em apenas uma área, pois assim conseguirá estudar o conteúdo programático com maior eficiência. Além disso, toda vez que tiver acesso à prova que prestou observar quais foram os erros cometidos, a fim de retificá-los. No mais, desejo a todos uma jornada vitoriosa e repleta de foco, persistência, perseverança e fé em Deus e em você!!!!!

Bate-papo com aprovados

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso PGE - SP Procurador do Estado Dos 208 aprovados, 134 são nossos alunos
  • Concurso CLDF Procurador Legislativo Dos 31 aprovados, 24 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Administração Tributaria Dos 591 aprovados, 475 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / Técnologia da Informação Dos 68 aprovados, 52 são nossos alunos
  • SEFAZ-BA / AUDITOR FISCAL Dos 303 aprovados, 253 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x