Concurso ISS Cuiabá - Entrevista com a 2ª colocada Carolina Barcelos

Entrevista:

ENTREVISTA: Carolina Barcelos – Aprovada em 2º lugar no concurso ISS Cuiabá

“Leve seus estudos a sério, se comprometa. Se o tempo que você tem disponível é 3h por dia, ótimo! Estude 3h por dia com qualidade, tempo é o tempo que se tem. Se não consegue se organizar sozinho busque ajuda; se as pessoas ao seu redor não te apoiam no seu projeto afaste-se dessas pessoas; se já estuda há algum tempo e não consegue ter bons resultados mude seu método”

Confira nossa entrevista com Carolina Barcelos, aprovada em 2º lugar no concurso ISS Cuiabá:

Estratégia Concursos: Conte-nos um pouco sobre você, para que nosso leitor possa te conhecer melhor. Você é formada em que área? Qual sua idade? De onde você é?

Carolina Barcelos: Tenho 28 anos, moro no Rio de Janeiro, sou formada em ciências náuticas pela EFOMM-RJ. Antes de começar minha jornada no mundo dos concursos trabalhei embarcada durante 4 anos, na maior parte desse tempo passava 1 mês embarcada e 1 mês em casa. Decidi estudar pra concursos para ter uma rotina mais normal. Vi que a área fiscal era aberta para qualquer nível superior e como a maioria dos concurseiros da área fiscal comecei sonhando com o ICMS RJ, a posse do último concurso em 2014 tinha acabado de acontecer e havia promessa de outro concurso ocorrer, então mergulhei de cabeça nesse projeto.

Estratégia: Quantos e em quais concursos já foi aprovada? Qual o último?

Carolina: Fiz dois concursos fiscais: ISS Niterói, fiquei em 41°( cadastro de reserva|), e ISS Cuiabá em 2° lugar no resultado final.

Estratégia: Durante sua caminhada como concurseira, você trabalhava e estudava (como conciliava trabalho e estudos?), ou se dedicava inteiramente aos estudos?

Carolina: Tentei trabalhar e estudar durante 2 meses…sem sucesso…era muito difícil conciliar a rotina a bordo com horas de qualidade nos estudos. Então, fiz as contas, pedi demissão e fui morar com os meus pais. Me planejei pra ficar 2 anos em casa, acreditava que aquela enxurrada de concursos fiscais com muitas vagas de 2013/2014 continuaria e que daria tudo certo. Mal sabia eu que os concursos desapareceriam e que teria que encarar 2 anos de crise….rs

Estratégia: Você estudou por quanto tempo, contando toda a sua preparação? Durante este tempo de estudo, como você fazia para manter a disciplina nos estudos mesmo naqueles períodos em que não havia edital na mão?

Carolina: Comecei a estudar em junho de 2014 quando ainda trabalhava…com dedicação exclusiva a partir de agosto do mesmo ano quando parei de trabalhar. Até a aprovação no ISS Cuiabá foi 1 ano e 9 meses de estudo.

Depois que eu pedi demissão foi uma tragédia atrás da outra, o país mergulhou nessa crise em que nos encontramos, os concursos fiscais sumiram, os poucos que apareceram eram com bancas duvidosas e pouquíssimas vagas. Cenário totalmente diferente do que eu esperava quando larguei o meu emprego. Eu me considero uma pessoa positiva….mas 2015 foi brabo…rs. Pensava duas coisas para me motivar e manter a disciplina em tempos de seca:

– “ Ainda não estou preparada pra passar em um concurso de alto nível, vou aproveitar esse tempo para estudar e formar a minha base”
– “Quando o concurso dos meus sonhos sair eu vou passar”

O que me ajudou muito também foram os boatos de que o ISS Niterói sairia. A Folha Dirigida passou o ano de 2015 inteiro publicando que o edital sairia no “fim do mês” e eu, sempre trouxa, acreditei e passei o ano inteiro em ritmo de reta final. Coloquei isso na minha cabeça e acordava diariamente pensando nesse concurso…passei o ano inteiro assim, imprimi o código tributário do município no começo de 2015…e lia diariamente…era a minha maior motivação…imaginem o quão trouxa me senti quando vi que só tinha 1 questão do ctm de Niterói na prova…hahaha

Estratégia: O que foi mais difícil nessa caminhada rumo à aprovação? E qual foi sua principal motivação?

Carolina: Minha maior dificuldade foi estudar em meio ao sumiço dos concursos, tem que ter sangue frio…e foi muito difícil pra mim. Mas nada se compara a sensação de bater na trave no ISS Niterói…foi o pior momento na minha caminhada no mundo dos concursos…eu não conseguia levantar a cabeça depois dessa prova…era um concurso que eu queria muito e vi a vaga dos meus sonhos escorregando pelos meus dedos. Fiquei fora das vagas por causa de 2 questões e isso acabou comigo, passei mais de 1 mês sem conseguir estudar, procurei emprego…não tinha outro concurso no horizonte e bateu o desespero. Quando o edital de Cuiabá saiu eu não me animei, menos vagas que Niterói…prova de títulos…medo de tomar outra voadora da FGV…mas era uma oportunidade de voltar aos estudos então decidi tentar.

Estratégia: Como era sua vida social durante a preparação para concursos? Você saía com amigos, família, etc? Ou adotou uma postura radical, abdicando do convívio social para passar no concurso o mais rápido possível?

Carolina: Queria passar o mais rápido possível então fui bem disciplinada. Estudava diariamente, entre sete e oito horas líquidas por dia de segunda a sábado e 4 horas líquidas aos domingos. Eu tinha uma meta semanal e cumpria, se estivesse em dia com os estudos eu saia. Meus amigos e família sabiam que eu estava estudando então já esperavam que nos eventos familiares eu não estaria presente. O lazer era mínimo, eu optava sempre por coisas tranquilas…ver um filme ou visitar uma amiga. Outra coisa que eu fiz e que me ajudou também foi dosar o tempo gasto na internet. Eu gostava de ficar desconectada durante todo o dia. Não ligava o celular nem durante os intervalos de almoço/café…o que acontecia comigo era que durante os intervalos eu ligava o celular e acabava me distraindo com a infinidade de redes sociais e minutos preciosos iam embora…eu deixava pra fazer isso no fim do dia, após a minha meta cumprida. Senti uma melhora significativa depois que comecei a fazer isso.

Estratégia: Você é casada? Tem filhos? Namora? Mora com seus pais? Sua família entendeu e apoiou sua caminhada como concurseira? Se sim, de que forma?

Carolina: Sou solteira, sem filhos e fiquei morando com os pais. Minha família e as minhas melhores amigas entenderam que eu queria mudar de rumo e me apoiaram nesse período. Eu ficava no meu quarto tranquila estudando….meus pais quase esqueciam que eu estava aqui….rs. Minha irmã e as minhas amigas foram grandes incentivadoras nessa fase e tiveram muita paciência comigo, sempre falaram que tinham certeza que eu conseguiria. Foram meu porto seguro e eu sempre recorria a elas nos momentos em que eu me sentia desmotivada.

Estratégia: Ao longo de sua jornada, você tentou outros concursos, para treinar e se manter com uma alta motivação ou decidiu manter o foco apenas naquele concurso que era o seu sonho?

Carolina: Meu foco era a área fiscal e não desviei. O ISS Cuiabá 2014, Sefaz PI 2015 e Sefaz PE 2014 optei por não fazer, pois estava estudando há poucos meses e não tinha base ainda. Fiz outros 2 concursos que tinham matérias em comum para testar o meu conhecimento: analista de controle interno CNMP e Analista de controle interno da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, mas não estudei as específicas. Os outros concursos em 2015 optei por não fazer, eu queria me sentir preparada pra encarar a área fiscal antes de olhar para os lados.

Estratégia: Você acha que vale a pena fazer outros concursos, com foco diferente daquele concurso que é realmente seu objetivo maior?

Carolina: Acho que isso é muito pessoal e depende do quão maduro o seu conhecimento nas outras matérias está. Acho que se você já tem um bom desempenho nas matérias da área fiscal e aparece um edital com matérias em comum vale a pena tentar, foi o que eu fiz.

Eu continuo estudando com foco nos fiscos da região sudeste e sul, mas bem mais tranquila depois desse bom resultado.

Estratégia: Você tinha mais dificuldades em alguma(s) disciplina(s)? Quais? Como você fez para superar estas dificuldades?

Carolina: Tive dificuldade em TODAS as matérias, e não estou exagerando no TODAS. Até nas que os outros concurseiros não reclamam muito…como informática (um pedaço da minha alma morria quando eu tinha que estudar essa matéria) e auditoria (Todas as respostas parecem iguais pra mim e sempre fico confusa) e nas clássicas também: estatística, economia e contabilidade. Tomei surras diárias de contabilidade durante 7 meses…foi a matéria que mais demorou a entrar na minha cabeça. Pra superar essas dificuldades eu fiz sempre a mesma coisa: Ler- reler- fazer exercícios…era muito ruim quando eu terminava de ler o pdf, ia para as questões e tomava uma coça…não acertava nem metade. Passei por isso muitas e muitas vezes. Mas ler e reler foi o que funcionou pra mim, a aula de economia sobre política monetária e fiscal li 6 vezes pra conseguir ter uma boa média de acertos nas questões. Paciência e persistência!

Estratégia: Que materiais você usou em sua preparação para o concurso? Aulas presenciais, telepresenciais, livros, cursos em PDF, videoaulas? Quais foram as principais vantagens e desvantagens de cada um?

Carolina: Usei basicamente pdf’s. Eu sempre fui aquela aluna que viajava quando o professor falava…rs, precisava ler a teoria para conseguir acompanhar. Os pdf’s foram perfeitos para mim, era exatamente o que eu precisava: teoria, jurisprudência e muitos exercícios. O único livro que eu usei foi o de contabilidade do Ricardo Ferreira, li o livro inteiro e depois fui para o pdf do Gabriel Rabelo e Luciano rosa. Não fiz aulas presenciais e vídeo-aulas eram residuais para mim…eu gastava o triplo de tempo vendo vídeo- aulas…então eu as utilizava quando eu não entendia o pdf. Adotei essa estratégia em todas as matérias.

Estratégia: Como conheceu o Estratégia Concursos?

Carolina: Não conhecia nenhum fiscal e nem tinha amigos que estudavam para concurso…mas na minha primeira pesquisa no google sobre a área fiscal a bibliografia recomendada do Alexandre Meirelles apareceu e nela alguns materiais dos professores do Estratégia. Gastei um bom tempo lendo depoimentos e entrevistas aqui, estudei as aulas demonstrativas e decidi comprar o pacote de pdf’s para o ICMS RJ, um edital bem abrangente da área fiscal.

Estratégia: Uma das principais dificuldades de todo o concursando é a quantidade de assuntos que deve ser memorizada. Como você fez para estudar todo o conteúdo do concurso? Falando de modo mais específico: você estudava várias matérias ao mesmo tempo? Quantas? Costumava fazer resumos? Focava mais em exercícios, ou na leitura e re-leitura da teoria? Como montou seu plano de estudos?

Carolina: A quantidade de matérias me assustou muito! Estava há muito tempo sem estudar e tive muita dificuldade para me organizar. Um método que funcionou pra mim ,no início, foi o ciclo de estudos. Coloquei as matérias básicas nos primeiros 4 meses (Direito administrativo, constitucional, civil, tributário, contabilidade, português, raciocínio lógico). Gosto muito dos pdf’s que têm resumos/mementos ao final, imprimia antes de começar a estudar as aulas e completava com algumas anotações importantes a lápis mesmo, nas revisões se já tivesse absorvido a informação eu apagava….meus resumos foram ficando cada vez mais enxutos. Depois que eu tinha resumos prontos do assunto eu fazia leituras rápidas e partia para baterias de exercícios ou provas anteriores nos sites de questões comentadas.

Em direito administrativo eu imprimi as leis e fui marcando os artigos que se repetiam nas provas, quando queria fazer uma revisão rápida lia só esses artigos que sempre apareciam nas questões e ia pra resolução das provas. Em direito civil fiz a mesma coisa com o código civil. Quando eu acrescentei as outras matérias ficou muito difícil organizar estudo e revisões então entrei pra uma consultoria e fazia revisões conforme as metas e deu certo.

Estratégia: A reta final é sempre um período estressante. Como você levou seus estudos neste período? Você se concentrava nas matérias de maior peso ou distribuía seus estudos de maneira mais homogênea? Focava mais na re-leitura, em resumos, em exercícios, etc ?

Carolina: A época do pós edital foi bem estressante pra mim…eu não me sentia preparada, faltava confiança, a quantidade de candidatos me assustava, eu pensava na prova e vinha aquele frio na barriga. Foquei na leitura dos resumos e resolução das questões da banca. Por ter feito dois concursos seguidos da FGV acabei resolvendo as questões da banca várias vezes…isso contribuiu para o meu bom resultado. Eu distribuí o estudo de maneira homogênea, acredito que não devemos ignorar matéria alguma. Fiz o possível pra ter um bom desempenho em cada matéria. Em Cuiabá veio contabilidade pública, nunca tinha estudado e tinha 2 meses pra aprender. Escolhi um material objetivo e que tinha muitas questões…sou lenta, não consegui estudar tudo mas foi o suficiente pra ter uma boa média de acertos. Pontinhos que fizeram a diferença no meu resultado final.

Estratégia: Na semana da prova, nós sempre observamos vários candidatos assumindo uma verdadeira maratona de estudos (estudando intensamente dia e noite). Por outro lado, também vemos concurseiros que preferem desalecerar um pouco, para chegar no dia da prova com a mente mais descansada. O que você aconselha?

Carolina: Acho que isso é muito pessoal….mas tive posturas diferentes em Niterói e Cuiabá e acredito que isso contribuiu para o meu resultado. A semana da prova de Niterói foi uma verdadeira maratona pra mim, estudei até tarde, queria ler todos os meus resumos, revisar todos os exercícios que tinha errado, fui lendo um resumo do ctm no dia da prova e não dormi bem no dia porque estava nervosa. Quando sentei na cadeira me sentia muito cansada, pilhada, nervosa, eu me tremia inteira e acredito que isso tenha afetado o meu resultado.

Em Cuiabá eu fui muito mais tranquila, eram menos vagas e acreditava sinceramente que não ficaria entre os 7 mas daria o meu melhor, então na semana da prova dormi muito bem, escolhi voltar apenas em assuntos pontuais…não ia dar pra revisar tudo mesmo então não me estressei com isso. Na véspera da prova li um resumo de auditoria, vi 3 filmes e dormi 12 horas seguidas…rs. Cheguei na prova tranquila e fui bem melhor. Vou tentar adotar essa postura em concursos futuros…rs.

Estratégia: Se você tivesse que apontar ERROS em sua preparação (se é que houve), quais seriam? Diga-nos também quais foram os maiores ACERTOS?

Carolina: Meus maiores erros no início foram querer fazer resumos longos e a mão…isso me tomava bastante tempo; estudar a mesma matéria por materiais/professores diferentes…acho que um único bom material de cada matéria é suficiente, faça seus resumos e foque em resolução de questões e provas anteriores, com o tempo sua média de acertos aumentará; outro erro também foi a preocupação exagerada com a concorrência e número de vagas, desperdicei boas horas de sono preocupada com isso. Meus maiores acertos foram ter começado desde o início com pdf’s, ter focado muito em resolução de exercícios e ter procurado uma consultoria quando tive dificuldade em me organizar.

Estratégia: Pela sua experiência e contato com outros concurseiros, diga-nos quais são os maiores erros que as pessoas cometem quando decidem se preparar para concursos?

Carolina: O grande erro que eu vejo são as pessoas não priorizando os estudos. Sempre haverá outros compromissos e coisas mais legais para se fazer…qualquer coisa é mais legal que se trancar em casa e estudar auditoria, informática e cia, qualquer coisa. Você tem que estar comprometido com esse projeto e querer muito ser aprovado para conseguir estudar. Acredito também que falta de organização e não dar a devida importância aos exercícios são grandes erros.

Estratégia: Qual foi sua sensação ao ver seu nome na lista dos aprovados/classificados?

Carolina: Nossa! Foi um momento emocionante…o resultado saiu de surpresa e um amigo mandou mensagem pra mim avisando que a FGV tinha liberado a lista, estava sozinha em casa e fiquei olhando o resultado por um bom tempo enquanto chorava muito…um alívio que eu nunca senti na vida. Foi uma pressão muito grande pra mim, estudar no meio dessa seca e sentia muito medo de nunca conseguir, de dar tudo errado e ver todo o meu esforço e tempo serem em vão. Ver meu nome encabeçando aquela lista me deixou muito feliz…até hoje fico emocionada quando lembro daquele momento. Senti um orgulho muito grande de não ter desistido; de ter ficado em casa quando todo mundo foi viajar; de olhar todos ao meu redor vivendo e seguindo com a vida e eu estudando pra concursos que eu nem sabia se aconteceriam; de ter continuado estudando depois de resultados negativos; de ter lido a mesma coisa várias vezes da matéria que eu detestava; de ter refeito a mesma lista de exercícios várias vezes quando eu não entendia nada e continuava errando tudo repetidamente….enfim, nada foi em vão. Eu li muitas entrevistas de aprovados e ficava me perguntando se todo esse esforço valeria a pena, e valeu! Acredite!

Estratégia: Por fim, o que você aconselharia a alguém que está iniciando seus estudos para concurso. Deixe-nos sua mensagem para todos aqueles que um dia almejam chegar aonde você chegou!

Carolina: Não está fácil ser concurseiro atualmente, estamos em um momento difícil, são poucos concursos com poucas vagas e matérias nada amigas, estou falando apenas fatos. Mas um outro fato: os concursos voltarão. Não há argumentos contra isso. Faça o seu planejamento, nem que seja a longo prazo. Leve seus estudos a sério, se comprometa. Se o tempo que você tem disponível é 3h por dia, ótimo! Estude 3h por dia com qualidade, tempo é o tempo que se tem. Se não consegue se organizar sozinho busque ajuda; se as pessoas ao seu redor não te apoiam no seu projeto afaste-se dessas pessoas; se já estuda há algum tempo e não consegue ter bons resultados mude seu método.

Não foi fácil chegar até aqui e acredito muito que Deus me sustentou nesse período. Quando eu achava que estava tudo dando errado…quando os concursos foram suspensos…quando eu fiquei por pouco no ISS Niterói e sem esperanças eu pensava “Deus está no controle e vai me ajudar a passar por isso” . Tenha fé ,sempre, “Fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem” e acredite que todo o seu esforço será recompensado, crise nenhuma muda isso e você colherá exatamente aquilo que plantar…então dê o seu melhor diariamente e os resultados virão.

Passar em um concurso é uma conquista pessoal, foi uma realização sem igual pra mim e todos os concurseiros que estão por aí estudando em tempos de crise e se esforçando diariamente merecem sentir isso e eu desejo, de coração, que você tenha a sensação da aprovação um dia.

Abraço e sucesso a todos!

Outras entrevistas em:

Depoimentos de Aprovados
Cursos Online para Concursos

Assessoria de Comunicação

[email protected]

Veja os comentários:
Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Resultados:

  • Concurso DETRAN-MA 2017 - Assistente de Transito Das 168 vagas ofertadas, 51 aprovados são nossos alunos
  • Concurso DETRAN-MA 2017 - Analista de Transito Das 2 vagas ofertadas, os 2 aprovados são nossos alunos
  • Concurso STM 2017 - TJAA Dos 200 primeiros aprovados, 77 são nossos alunos
  • Concurso STM 2017 - AJAJ Dos 100 primeiros aprovados, 36 são nossos alunos
  • Concurso STM 2017 - AJAA Dos 100 primeiros aprovados, 49 são nossos alunos

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.