168

Concurso TRE SP: prazo de validade suspenso até 31/12

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo decidiu suspender o prazo de validade do último concurso até 31/12/2021. De acordo com o documento, a vigência será retomada em 01/01/2021.

  • Concurso TRE SP
  • Status: prazo de validade suspenso
  • Vagas: 68 cargos vagos
  • Salário inicial: R$ 5.934,15 – R$ 9.736,27

O último concurso ofertou aos candidatos 14 vagas para os cargos de Analista e Técnico. A banca organizadora escolhida foi a Fundação Carlos Chagas (FCC). Foram no total 138.698 inscritos. Ao todo foram nomeados 299 candidatos. Mesmo com o alto número de nomeações, o Tribunal possui 68 cargos vagos.

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país.

Neste artigo, comentaremos sobre esse assunto e outros temas que envolvem o concurso TRE SP.

Concurso TRE SP: Situação atual

De acordo com o Tribunal, a última seleção ficará suspensa até 31/12/2021. A vigência será retomada em 01/01/2022.

Concurso TRE SP: Carreira

Cargos Vagos

De acordo com o levantamento realizado em abril de 2021, o TRE SP possui no total 68 cargos vagos. Confira abaixo:

Analista – 16 cargos vagos
Técnico – 52 cargos vagos

Requisitos dos cargos

NÍVEL SUPERIOR

  • Analista Judiciário – Área Judiciária
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Direito, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC);
  • Analista Judiciário – Área Administrativa
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em qualquer área de formação, exceto licenciatura curta, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC);
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Análise de Sistemas
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior na área de Tecnologia da Informação ou de qualquer curso de graduação de nível superior acrescido, nesta última hipótese, de certificado de curso de especialização, em nível de pós-graduação na área de Tecnologia da Informação de, no mínimo, 360 horas-aula, expedidos por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC);
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Assistência Social
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Assistência Social, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e registro profissional no Conselho Regional da Categoria;
  • Analista Judiciário – Área Administrativa – Especialidade Contabilidade
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação
    de nível superior em Ciências Contábeis, expedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e registro profissional no Conselho Regional da Categoria;
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Medicina (Clínica Médica)
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Medicina, expedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) acrescido de título de especialista em Clínica Médica ou Residência Médica em Clínica Médica devidamente reconhecidos; registro profissional no Conselho Regional correspondente e 1 (um) ano de experiência profissional mínima comprovada em Clínica Médica;
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Psicologia
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Psicologia, expedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e registro profissional no Conselho Regional da Categoria;
  • Analista Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Relações
    Requisitos: Diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação, em nível superior em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, ou curso superior de Relações Públicas expedido por instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e registro profissional no Conselho Regional da Categoria e experiência profissional mínima de 1 (um) ano como Relações Públicas após a conclusão do curso superior.

NÍVEL MÉDIO

  • Técnico Judiciário – Área Administrativa
    Requisitos: Certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo segundo grau) ou curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente;
  • Técnico Judiciário – Área Administrativa – Especialidade Artes Gráficas
    Requisitos: Certificado, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio (antigo segundo grau), ou curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente, em conjunto com certificado de habilitação em curso técnico em artes gráficas, com no mínimo 200 horas-aula, expedidos por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente. Experiência profissional de no mínimo 2 (dois) anos em impressão Off-set e impressão digital;
  • Técnico Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Enfermagem
    Requisitos: Certificado, devidamente registrado, de conclusão de curso de ensino médio (antigo segundo grau), ou curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente, em conjunto com certificado de habilitação em curso técnico de enfermagem expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente e registro profissional no Conselho Regional de Enfermagem;
  • Técnico Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Programação de Sistemas
    Requisitos: Certificado, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio (antigo segundo grau) ou curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente, em conjunto com certificado de habilitação em cursos de programação de sistemas, com carga horária total de, no mínimo, 120 horas-aula, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente, também, serão aceitas horas aula das disciplinas de programação, banco de dados e engenharia de software, em curso superior na área de Tecnologia da Informação, cursadas em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).
  • Técnico Judiciário – Área Apoio Especializado – Especialidade Operação de Computadores
    Requisitos: Certificado, devidamente registrado, de conclusão de ensino médio (antigo segundo grau), ou curso técnico equivalente, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente, em conjunto com certificado de habilitação em cursos de operação de computadores, com carga horária de, no mínimo, 120 horas-aula, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo órgão competente, também serão aceitas horas aula das disciplinas de Sistemas Operacionais, Redes de Computadores e Eletrônica, em curso superior na área de Tecnologia da Informação, cursadas em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

Salários e Benefícios

Conforme o último edital, a remuneração para os cargos de nível médio foi de R$ 5.934,15; já os de nível superior o vencimento foi no valor de R$ 9.736,27. Os valores correspondem ao vencimento básico mais a Gratificação de Atividade Judiciária – GAJ.

De acordo o portal da transparência esses valores foram reajustados, atualmente, servidores que ocupam cargos de Técnico possuem o vencimento básico de R$ 3.163,07 e a GAJ no valor de R$ 4.428,30. Somando os valores, o total é de R$ 7.591,37.

Já os ocupantes do cargo de Analista, possuem o vencimento inicial de R$ 5.189,71 e a GAJ de R$ 7.265,59, ou seja, o total é de R$ 12.455,30.

Último Concurso TRE SP

O último edital do TRE SP foi publicado em agosto de 2016 e teve como instituição organizadora a Fundação Carlos Chagas (FCC). Foram no total 138.698 inscritos. As provas do concurso foram realizadas em fevereiro de 2017. Houve oportunidades para nível médio e superior.

A forma de avaliação usada foi a aplicação de três provas: Prova de Conhecimentos Gerais, Conhecimentos Específicos e Prova Discursiva. Os candidatos fizeram todas no mesmo dia. Dependendo do cargo escolhido, a provas ocorreram no períodos da manhã e tarde. No total foram 14 vagas distribuídas entre os cargos/especialidades abaixo:

Analista Judiciário – Nível Superior. Para o cargo administrativo foi permitido candidatos de qualquer área de formação. Já as outras especialidades, exigiam diploma na área da função, curso semelhante ou especialização.

  • Área Judiciária – 02
  • Área Administrativa – 01
  • Análise de Sistemas – 01
  • Assistência Social – cadastro reserva
  • Contabilidade – 02
  • Medicina (Clínica Médica) – cadastro reserva
  • Psicologia – cadastro reserva
  • Relações Públicas – 01

Técnico Judiciário – Nível Médio. Exigência de curso na área da especialidade. Exceto para a função administrativa.

  • Área Administrativa – 05; Deficientes: 01; Negros: 01
  • Artes Gráficas – cadastro reserva
  • Enfermagem – 01
  • Programação de Sistemas – 01
  • Operação de Computadores – cadastro reserva

Etapas do concurso TRE SP

Prova objetiva

A prova objetiva abrangia questões de conhecimentos gerais e específicos, com o total de 60 questões de múltipla escolha. Para todos os cargos a quantidade de questões e o peso de cada avaliação foi igual. Conforme a lista abaixo:

ProvaQuantidade de QuestõesPeso
Conhecimentos Gerais
Gramática e interpretação de texto da línguaportuguesa
Noções de Informática
Normas Aplicáveis aos Servidores Públicos Federais
Regimento Interno doTRE SP
Código de Ética do TRE-SP
Estatuto da Pessoa com Deficiência
Plano Estratégico do RE SP período de 2016-2021
201
Conhecimentos Específicos403
TRE SP: TABELA DE DISCIPLINAS E QUESTÕES

As avaliações foram de caráter classificatório e habilitatório, ambas avaliadas na escala de 0 a 10 pontos. Também foi habilitado o candidato que teve, nas duas provas, acerto de no mínimo 60%.

Para obtenção da nota, seguiu-se a média de cada prova, respeitando o peso das avaliações, mostradas na lista anterior. Os candidatos que conseguiram a média 6 foram classificados por Cargo/Área/Especialidade, em ordem decrescente das médias.

Além disso, só seria corrigida a prova dissertativa dos habilitados e melhor classificados até o limite estabelecido no quadro a seguir.

concurso TRE SP
concurso TRE SP
concurso TRE

Prova discursiva

A prova discursiva foi diferente para as especialidades de Analista Judiciário e Técnico Judiciário. Para o primeiro, a avaliação era composta de um estudo de caso. Para o segundo, foi constituída de uma redação. Abaixo relacionamos a exigência de cada uma delas.

Estudo de Caso – Analistas Judiciários

A prova tinha como objetivo avaliar o domínio de conteúdo dos temas abordados, a experiência prévia do candidato e sua adequabilidade quanto às atribuições do cargo. Os temas eram baseados em conteúdo específico de cada especialidade e seguiu o conteúdo programático do edital.

Foi constituída de 2 questões práticas, para os quais o candidato devia apresentar, por escrito, as soluções. Por exemplo, para a especialidade Análise de Sistemas foi criada uma situação em que deveria ser desenvolvido um software para utilização de juízes e advogados em interface com os usuários. Foi exigido que o candidato resolvesse as seguintes questões:

Cada uma das questões tinham o valor de 0 a 10 pontos. Foi considerado habilitado o candidato que obteve nota maior do que zero em cada uma das 02 questões e a média destas, igual ou superior a 6. Lembrando que também foi avaliado ortografia, gramática, coerência e coesão do conteúdo.

Redação – Técnicos Judiciários

Na Prova Discursiva-Redação, o candidato precisava desenvolver um texto dissertativo a partir de uma única proposta, sobre tema atual. Ou, sobre um assunto relacionado a área de atividade/especialidade do cargo. O texto foi avaliado conforme os critérios abaixo.

  • Conteúdo – 4 pontos:
  • a) perspectiva no tratamento do tema;
  • b) capacidade de análise e senso crítico;
  • c) consistência dos argumentos, clareza e coerência no seu encadeamento.
  • Estrutura – 3 pontos:
  • a) respeito ao gênero solicitado;
  • b) progressão textual e encadeamento de ideias;
  • c) articulação de frases e parágrafos (coesão textual).
  • Expressão – 3 pontos:
  • a) desempenho linguístico
  • b) adequação do nível de linguagem adotado à proposta e coerência no uso c) domínio da norma culta.
  • A avaliação da expressão não é feita de modo mecânico, mas sim de acordo com sua estreita correlação com o conteúdo desenvolvido.

Nota de corte – concurso TRE SP

Na tabela abaixo está a nota final do primeiro e último colocado aprovado em cada cargo do concurso TRE SP 2016. Confira.

Analista Judiciário

ÁreaMédiaClassificação
Judiciária 9.001
7.33324
Administrativa 8.951
7.07132
Análise de Sistemas 7.791
6.1325
Assistência Social 7.541
6.256
Contabilidade 8.671
6.9125
Medicina 9.101
7.2124
Psicologia 8.071
6.4223
Relações Públicas 8.351
6.6324

Técnico Judiciário

ÁreaMédia Classificação
Administrativa 9.461
7.70 551
Artes Gráficas 7.771
Enfermagem 7.781
6.0011
Programação 7.681
6.1519
Operação de Computadores 7.581
6.2813

Quer estudar para Concurso TRE SP?

Gostou desta oportunidade e deseja começar se preparar agora mesmo? Então, confira os nossos cursos e comece a estudar para TRE SP:

Prepare-se com o melhor material e com quem mais aprova em Concursos Públicos em todo o país.

Assinatura Concursos

Assinatura de 1 ano ou 2 anos

Concursos Abertos

Os editais publicados

Concursos 2021

As oportunidades previstas

Concursos 2022

Vagas para o próximo ano

►Informações sobre o último concurso TRE SP

►Data: 2016
►Vagas: 14 vagas
►Cargos: Analista e Técnico Judiciário
►Banca: Fundação Carlos Chagas
►Escolaridade: Nível superior e médio
►Edital: Edital TRE SP 2016

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *