Arquivologia TCDF
Felipe Petrachini

Arquivologia TCDF

Olá meus caros

Mais uma prova do CESPE sem estripulias (o que é ótimo para todo mundo :P). Já tive a oportunidade de conversar com alguns colegas que tiveram dúvidas, e identifiquei um único recurso da prova, e mesmo assim, sem muitas chances de ser aceito pela banca (já que não era o núcleo da questão).

Vamos lá:

101 – Após passarem pelos arquivos correntes, os documentos de arquivo podem ser eliminados, ser encaminhados ao arquivo intermediário, ou, ainda ser recolhidos aos arquivos permanentes.

Este item foi dado como CERTO pela banca. E se levarmos em consideração que o foco da questão era aferir se o candidato sabia que um documento não precisa passar necessariamente pelas três fases do ciclo vital dos documentos, estaria perfeito. Contudo, o CESPE adotou terminologia equivocada ao referir-se a “encaminhamento” ao invés de usar o termo correto: “transferência”, no caso de passagem do documento do arquivo corrente ao intermediário. Isto prejudicou os candidatos mais atentos, razão pela qual sugiro que apresentem recurso neste caso (mesmo acreditando que o CESPE desviará deste aspecto da questão).

Entretanto, se você discordar da minha opinião (por exemplo, identificar mais recursos ou achar que viajei na minha sugestão), convido-o a escrever para [email protected], e eu terei o máximo prazer de esclarecer os pontos nebulosos (ou até mudar de ideia, conforme o caso :P)

E logicamente, se o número de emails for gigante, farei uma publicação com os comentários da prova, para que não restem dúvidas!

Grande abraço

Compartilhe:

Felipe Petrachini

Felipe Petrachini

Formado em Direito pela Universidade de São Paulo em 2011, logrou êxito no concurso de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo, realizado em 2013, cargo que atualmente exerce. Iniciou sua carreira pública tomando posse no cargo de Assistente Técnico Administrativo do Ministério da Fazenda (ATA-MF) em 2009, cargo este que exerceu até sua nomeação para Técnico Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 2 Região, em 2012. Entrou em exercício no cargo de Auditor Fiscal Tributário Municipal em São Paulo em agosto de 2012, permanecendo no cargo até março de 2014, quando tomou posse no cargo de Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo. Foi aprovado também nos seguintes certames, sendo nomeado e convocado a tomar posse no cargo a que se referiam: Escrevente do Tribunal de Justiça de São Paulo (2007) Oficial de Justiça do Estado de São Paulo (2009) Assistente de Licitação da Fundação do Remédio Popular (2010) Técnico do Ministério Público da União (2010) Técnico Previdenciário do Instituto Nacional do Seguro Social (2012)            

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados