7 motivos para escolher Direito Empresarial na 2ª Fase OAB
Alessandro Sanchez

7 motivos para escolher Direito Empresarial na 2ª fase OAB

Olá meu amigo, se você chegou até aqui, é natural que algo lhe intrigou no Direito Empresarial, além de ter se sentido intrigado por conhecer os 7 motivos para escolher Direito Empresarial na 2ª fase OAB. Vamos lá!

Essa disciplina se apresenta bastante intrigante já que a empresa passou a integrar a legislação de nosso país apenas em 2002 e tudo é muito novo, seja a didática ou mesmo os mercados de trabalho como as Marcas e Patentes, Concorrência, Direito Societário e Falimentar e o número de oportunidades na Advocacia Empresarial só aumenta.

Vamos agora ao que interessa, sendo importante lembrar que também tenho um vídeo em meu canal YouTube justamente sobre a escolha do Direito Empresarial, mas acredito que você deva continuar lendo esse material que eu fiz especialmente pra você.

Alguns motivos para a escolha do Direito Empresarial na Segunda Fase OAB

1º MOTIVO | Menor Conteúdo Programático | Empresarial tem o edital que melhor se encaixa em um estudo de aproximadamente 50 (cinquenta) dias, pouco menos ou pouco mais. Confira!

Se você estudará o conteúdo de direito material e as peças processuais em 50 (cinquenta) dias, é claro que Direito Empresarial é a melhor escolha em vista da nenhuma extensão do edital.

O conteúdo programático, a princípio, tinha apenas 17 tópicos e para que a disciplina não fosse percebida como pouco extensa e desproporcional em relação às demais, a banca examinadora adicionou os subtítulos e não acrescentou nenhum tópico novo, o que significa que a disciplina continua sendo infinitamente menor do que as demais no direito material e processual.

2º MOTIVO | Maior chance de aprovação no Exame

Os números ofertados pela própria banca examinadora são bastante claros. Entre aqueles que optam pela disciplina, algo em média de 34% aprova já no primeiro exame. Note que esse número leva em conta aqueles que se inscreveram desde a primeira fase e sequer chegaram até a segunda fase, o que significa que entre os que chegam na segunda fase, esse número dobra e atinge algo em torno de 70% de aprovação em todo o país.

3º MOTIVO | Menor volume de peças prático-profissionais

Agora você vai se surpreender. Um terço das peças prático-profissionais tratavam de peças para produzir a cobrança de dívidas, como é o caso de uma ação de execução de título extrajudicial. As estruturas de peças são basicamente 5: Petição Inicial, Contestação, Réplica, Agravo de Instrumento e Apelação.

Ainda que contemos os exames reaplicados, em 24 oportunidades a peça cobrada foi uma “PETIÇÃO INICIAL” e posso exemplificar algumas como Ação de Execução, Ação Monitória, Ação de Reparação de Danos, Ação de Cobrança, Ação de Recuperação de Empresas, Ação de Cancelamento de Protesto ou mesmo uma Ação Renovatória para conservar o direito ao ponto de negócio empresarial. Note que são peças tranquilamente identificáveis e fáceis de estruturar.

Professor, mas e as outras peças? Vamos lá!

Em uma oportunidade a peça foi uma RÉPLICA, outras duas uma CONTESTAÇÃO. e em 4 oportunidades recursos como AGRAVO DE INSTRUMENTO e APELAÇÃO. Em suma, em 85% dos casos a prova se resume a uma peça da primeira instância, disparadamente uma PETIÇÃO INICIAL.

4º MOTIVO | Encantamento e alguma afinidade com a disciplina, experiência não é importante!

Caso você tenha gostado de ler três dicas deste artigo, acredito que você não volte mais atrás. A afinidade ou encantamento serão importante para você passar 45 (quarenta e cinco) dias em cima da disciplina. Vamos a um exercício.

Quando os meus alunos contratam o curso com monitoria, dou o meu whats pessoal e passamos a conversar quase que diariamente. Você gostaria de ter o seu Professor perguntando se está com dificuldades ou mesmo perguntando se está fazendo as peças ou se está seguindo o “PLANNER”?, sim, um “planner. Trata-se de um cronograma individualizado para os estudos.

Se a resposta for sim, nos encontraremos em muito breve, e tem mais motivos pela frente. Bora, bora lá??? Bora lá!!!

ADVERTÊNCIA IMPORTANTE: O fato de não ter experiência não é um problema, pois temos tempo suficiente para ver e rever a matéria e peças durante o curso e o candidato sem experiência é também um candidato sem vícios.

5º MOTIVO | A disciplina é um diamante escondido nas opções do Exame de Ordem

Você sabe qual o percentual de alunos que escolhe Empresarial? Pasmem, mas apenas 1% dos inscritos. Agora você se pergunta? … seria por medo de reprovação? Esse medo não se justificaria já que é a disciplina que mais aprova. O motivo é bem simples. A maioria dos alunos não estudou as peças processuais de Direito Empresarial na faculdade ou mesmo não pesquisaram sobre a disciplina. Leia um pouco mais.

Em primeiro plano, as peças tem a mesma estrutura do Processo Civil comum e as possibilidades não são estranhas, são inclusive muito conhecidas por você, como é o caso de uma Ação de Reparação de Danos em relação ao Administrador que causou um prejuízo a determinada empresa, assim como uma simples Ação de Cobrança, uma contestação ou um Recurso de Apelação.

Agora que você não estranha mais nada…

6º MOTIVO | As questões enfrentam o direito material de forma muito objetiva

As questões discursivas exigem conhecimento direto da legislação ou súmulas da jurisprudência dos tribunais em 4 (quatro) grupos de matérias. O grupo 1 é o de TEORIA DA EMPRESA E SOCIEDADES, o grupo 2 é o dos BENS IMATERIAIS como as marcas, patentes e locação empresarial. Esses dois grupos já são tratados no primeiro terço do curso e as peças são todas rapidamente esgotadas.

O grupo de número 3 é o dos CONTRATOS E TÍTULOS, um grupo com leis extremamente objetivas e de rápida passagem. O último grupo das FALÊNCIAS E RECUPERAÇÕES tem uma legislação recente e muito, muito organizada.

7º MOTIVO | Maior facilidade para marcação do vade-mecum

O fato de o direito material ser dividido em quatro pequenas áreas facilita muito o sistema de marcação. Utilizo uma cor diferente para cada um dos quatro grupos e o aluno marca todo o direito material com clipes na parte baixa do vade-mecum e as ações na parte alta.

Caso queira conhecer um pouco do Curso de 2ª Fase Empresarial Estratégia OAB, segue os links abaixo:

O aluno tem duas opções a sua disposição. Na primeira opção “SEM MONITORIA”, visualizamos um aluno mais independente e que não pretende um acompanhamento e cronograma individualizado.

Direito Empresarial 2ª Fase OAB Estratégia | Alessandro Sanchez | sem monitoria

Na opção a seguir, temos a famosa “MENTORIA INDIVIDUALIZADA”, tratando o aluno de modo customizado em um curso que já lhe entrega todo o material didático de Direito Empresarial, Processual e peças práticas. O aluno será acompanhado dia após dia, com “planner” individualizado e correção de peças extras.

Direito Empresarial 2ª Fase OAB Estratégia | Alessandro Sasnchez | COM MONITORIA.

Finalmente, espero ter ajudado e oferecido utilidade com o artigo acima. Caso alguma dúvida persista, pode me procurar em meu perfil do INSTAGRAM: @Prof_SANCHEZ

Bora, bora lá firmes, muito firmes e juntos nessa jornada!

Alessandro Sanchez

Professor âncora da Segunda Fase Empresarial Estratégia OAB

Posts Relacionados

Compartilhe:

Alessandro Sanchez

Alessandro Sanchez

Mestre em Direito. Professor de Direito Empresarial e Prática Empresarial em grandes cursos preparatórios de todo o país, principalmente no Estratégia Concursos e OAB e programas de Pós-Graduação em Direito e Advocacia Empresarial. Escritor de obras jurídicas pelas Editoras Método e Saraiva, tendo escrito a primeira obra do país no tema Prática Jurídica Empresarial. Autor da obra Direito Empresarial Sistematizado que explica o direito com ênfase em concursos por meio de sistematização e infográficos. Professor de Oratória e Argumentação Jurídica para Advogados em todo o país. Conferencista e Palestrante em Universidades de todo o país.  

Deixe seu comentário:

Deixe seu comentário:

Vídeos Relacionados

Cadastre-se para receber novidades e ofertas especiais sobre cursos.

Estamos aqui para ajudar você!
x